Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Os cinco desafios de Tite até o mata-mata da Libertadores

Treinador precisa pensar em como recuperar regularidade do time

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

27 de abril de 2015 | 12h43

A partir desta segunda-feira, o técnico Tite tem uma série de problemas para resolver e resgatar o bom futebol do Corinthians. Depois da eliminação no Campeonato Paulista para o Palmeiras nos pênaltis e da derrota para o São Paulo na Copa Libertadores, a equipe tem praticamente uma semana e meia até a próxima partida, dia 6 de maio, contra o Guaraní, do Paraguai, na partida de ida das oitavas de final do torneio sul-americano. O jogo será fora de casa. Veja os problemas que o treinador corintiano terá de resolver:

1. Recuperação de Guerrero

O principal jogador corintiano ficou internado depois de ter contraído dengue e voltou aos treinamentos na última quinta-feira. Em entrevista coletiva, o atacante confirmou que perdeu massa muscular, cerca de três quilos. O tempo é até o próximo jogo é suficiente para o atacante recuperar a forma, mas ele está sem ritmo de jogo. É o artilheiro do clube no ano com 12 gols.

2. O companheiro de Guerrero

Em quatro partidas como substituto de Guerrero, Vagner Love não convenceu. As outras opções, Malcom e Luciano, não atuaram em nenhuma partida como titulares em 2015. Por fim, Emerson Sheik e Stiven Mendoza foram expulsos contra o São Paulo e estarão suspensos no jogo do Paraguai. As opções de Tite, no momento, são Danilo e Petros, mudando o esquema da equipe.

3. Jogo aéreo

A defesa do Corinthians falhou muito nos últimos jogos, principalmente nas jogadas aéreas. Foi assim que o Palmeiras fez dois gols na Arena Corinthias e o São Paulo conseguiu o primeiro tento na última quarta-feira. Tite tem treinado esse tipo de jogada em todos os trabalhos.

4. A má fase de Elias

Depois de ter marcado quatro gols nos quatro primeiros jogos da Copa Libertadores, sempre com infiltrações em velocidade a partir do meio em direção à área, Elias caiu de produção nos últimos jogos. Bem marcado, precisa mudar o posicionamento. 

5. Recuperação psicológica

As derrotas para Palmeiras e São Paulo abalaram a confiança dos jogadores. Petros e Elias, que perderam as penalidades contra o Palmeiras, pelo Campeonato Paulista, foram os que mais sentiram eliminação. Para recuperar o lado psicológico, o técnico Tite deu dois dias de folga aos jogadores. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.