Os nove cartões amarelos assustam Rojas

Embora distanciado ainda mais dos líderes do Campeonato (Santos e Cruzeiro), o técnico Roberto Rojas, do São Paulo, se disse satisfeito com o empate deste domingo, por 2 a 2, com o Figueirense, em Florianópolis. Rojas destacou que já sabia que seria muito difícil derrotar a equipe catarinense em seu estádio, conforme análise feita a partir de apresentações de Cruzeiro e Santos, que nas ocasiões que atuaram em Florianópolis, saíram derrotados em suas partidas. ?Foi um ponto muito importante. Sempre é bom somar. Todo time grande tem tido dificuldades de jogar aqui. O Figueirense foi um adversário muito difícil como na já era esperado por nós", afirmou. Rojas destacou que a partir da virada no placar obtida entre 29 e 33 minutos do segundo tempo, faltou ao São Paulo um pouco de tranqüilidade para segurar a vantagem. ?Foi tudo muito rápido e não deu tempo para a gente administrar a vantagem", completou o treinador, salientando que nas próximas 16 rodadas do Nacional, muitas surpresas ainda irão acontecer. Sobre os nove cartões amarelos tomados pelo time na partida, ele disse que não é normal e que as excessivas advertências poderiam ser amenizadas sem o uso dos cartões. O meia Ricardinho, que chegou a reclamar da atuação do árbitro carioca Vagner Tardelli, acrescentou que o resultado não foi bom para o São Paulo e que a diferença de quatro pontos para os líderes exigirá mais responsabilidade do time nas próximas partidas. ?A partir de agora os jogos serão cada vez mais difíceis. Vamos ter que recuperar estes pontos em outros jogos, especialmente diante do Santos que se firma cada vez mais como um dos nossos principais concorrentes", disse o jogador, destacando as dificuldades encontradas pelo seu time diante da forte marcação e a velocidade do adversário, na capital catarinense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.