Fábio Vieira/FotoRua/Estadão
Fábio Vieira/FotoRua/Estadão

Os quatro caminhos dos candidatos ao título Brasileiro

Palmeiras, Flamengo, Santos e Atlético-MG fazem contas e definem suas estratégias para as cinco últimas rodadas; Palmeiras tem três jogos em casa

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

01 de novembro de 2016 | 07h00

Assim que acabou o clássico contra o Santos, Cuca fez um comentário simples para diminuir o peso da derrota por 1 a 0. “Temos três jogos em casa”. Nas cinco últimas rodadas, o Palmeiras aposta tudo na força do Allianz Parque para defender uma diferença de cinco pontos para o Flamengo. Em casa, a equipe só perdeu uma. Esse é o atalho que o treinador pretende percorrer para chegar ao título brasileiro. 

O primeiro adversário é o Internacional. Quando Cuca diz que confia nos jogos em casa, ele quer dizer que espera uma arena lotada. Essa pressão já está garantida para domingo.  

Na segunda-feira, o clube anunciou que todos os cerca de 30 mil ingressos estão esgotados. A venda, que começou na última sexta-feira, somente para sócios-torcedores, terminou na segunda de manhã. Por determinação do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), o jogo não terá torcida no setor Gol Norte. Essa é o último dos seis jogos da punição imposta ao clube por causa do confronto de torcedores na partida contra o Flamengo, em Brasília. 

Depois do Inter, o Palmeiras vai enfrentar o Atlético-MG fora de casa. Dono de um dos elencos mais valorizados do torneio, o time mineiro se apoia em 2% de chances na reta final. No jogo de ida, os mineiros venceram por 1 a 0 em São Paulo - essa foi a única derrota do Palmeiras no Allianz. Depois dessa pedreira, mais dois jogos em casa (Botafogo e Chapecoense). Nessa altura, Cuca já espera ter definido a conquista. O encerramento será na Bahia, contra o Vitória. “O Palmeiras tem amplas chances de ser campeão. É só fazer o que vem fazendo”, dá a receita o ex-atacante Evair. 

O técnico Zé Ricardo, do Flamengo, pode usar o mesmo raciocínio de Cuca e se apoiar nos confrontos como mandante. Também são três jogos no Maracanã (Botafogo, Coritiba e Santos). O primeiro desafio, sábado, é superar a sequência de três jogos sem vitória em um clássico. O Flamengo não vence o Botafogo desde 2014. 

Os cariocas enfrentam também o América-MG e Atlético-PR fora casa. “Enquanto houver uma chance matemática, nós vamos lutar”, disse o meia Diego após o empate contra o Atlético, resultado que jogou para 5,8% o porcentual de chance de título do Flamengo. 

Para o ex-jogador Tita, campeão da Libertadores e do Mundial em 1981, o Flamengo tem de se concentrar inicialmente em seus jogos e só depois esperar um tropeço do Palmeiras. “Acredito que a rodada 35, que marca o confronto entre Atlético e Palmeiras, ainda pode trazer esperança”, opina o ex-jogador de 58 anos. 

TERCEIRO LUGAR

O Santos, que assumiu a terceira posição no final de semana, vai enfrentar a Ponte Preta, em Campinas, no sábado. Jogo difícil, sem Lucas Lima, que está suspenso. Depois, recebe o Vitória, desesperado na luta contra o rebaixamento. Na reta final do torneio, o time tem dois confrontos fora de casa que serão o teste de fogo para a vaga na Libertadores: Cruzeiro e Flamengo. Na última rodada, recebe o América de Minas na Vila. 

A tabela santista, portanto, é a mais exigente, pois concentra três jogos fora de casa contra rivais indigestos. Na segunda-feira, o presidente Modesto Roma Junior pediu que ex-jogador Léo e o ex-presidente Marcelo Teixeira acompanhem a equipe de perto para dar força ao elenco. 

Após o final de semana, as chances do Atlético foram reduzidas a ponto de a torcida ressuscitar o “Eu acredito!”. O ex-atacante Dario, campeão brasileiro em 1971, afirma que o clube não tem mais chances. “Pode entregar a taça para o Palmeiras”, crava. 

Na próxima rodada, a equipe não pode tropeçar diante do Coritiba, fora de casa. Em seguida, terá o grande desafio da sequência final do torneio: receber o líder Palmeiras com a obrigação de vencer na 35.ª rodada. Só o triunfo mantém as pequenas chances na luta pelo título.  Em seguida, a equipe mineira recebe o São Paulo e fará dois jogos difíceis fora, contra Vitória e Chapecoense.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.