Andrew Winning/REUTERS
Andrew Winning/REUTERS

Oscar vê Corinthians 'desesperado' por título mundial

Meia do Chelsea garante que o time inglês estará preparado para todos os adversários

AE, Agência Estado

22 de novembro de 2012 | 10h36

LONDRES - Depois de se adaptar rapidamente ao Chelsea e se firmar como um dos principais jogadores da equipe inglesa na atualidade, o meia Oscar se diz sedento para conquistar títulos pelo time. E um deles é o do Mundial de Clubes da Fifa, que será realizado no próximo mês, no Japão, onde a sua equipe poderá medir forças com o Corinthians em uma possível final. Ao falar sobre a possibilidade de encontrar o rival em uma provável decisão, o meio-campista destacou que vê os corintianos "desesperados" com a chance de serem campeões mundiais.

Oscar falou sobre o assunto em entrevista ao site oficial da Fifa, publicada nesta quinta-feira, na qual garantiu que o Chelsea levará muito a sério o Mundial. "Isso é muito importante e nos dá a chance de falarmos que somos campeões do mundo. O Barcelona levou o torneio muito a sério no ano passado e nós vamos fazer o mesmo. Mas isso não vai ser fácil. Eu conheço bem o Corinthians e eles são muito fortes e organizados. E estão desesperados para vencer o Mundial, que é considerado tão importante na América do Sul. Mas nós estaremos totalmente preparados para todos nossos adversários", ressaltou o brasileiro.

Oscar também comentou o fato de que poderá reencontrar o volante Paulinho, seu companheiro de seleção brasileira, em uma possível final do Mundial. Ele destacou que sempre brinca com o seu compatriota quando vislumbra este duelo, mas não escondeu a motivação de superá-lo caso o mesmo realmente ocorra. "Respeito o Paulinho como um jogador, ele é um jogador muito bom, mas se nos encontramos no Mundial eu farei de tudo para derrotá-lo", acrescentou.

O brasileiro também enfatizou que esperar ganhar "os maiores títulos do mundo" com o Chelsea e que vê o clube como ideal para essa ambição. Em meio a este processo, o jogador festejou o fato de rapidamente ter se enquadrado no estilo de jogo do Chelsea, que se tornou mais ofensivo após a sua vinda e a de outros jogadores.

"O Chelsea se adaptou ao meu estilo, e isso me ajuda. Na última temporada, eles atuavam de maneira diferente, mas, com a minha chegada e a de Hazard (meia belga), junto ao Juan Mata, mudamos o estilo do time, ficamos mais ofensivos", ressaltou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.