'Oscilações são normais', diz Dorival após derrota

Derrotado no clássico lusitano do Campeonato Brasileiro, quarta-feira à noite, no Canindé, o Vasco voltou a se aproximar da zona de rebaixamento. Com 24 pontos, tem meros dois a mais do que o Atlético-MG, o primeiro time dentro da zona de degola. Para o técnico Dorival Júnior, será difícil fugir deste cenário até o fim da competição.

AE, Agência Estado

12 de setembro de 2013 | 09h41

"(A perspectiva) é a mesma que quando iniciamos o campeonato: disputa constante por pontos, um perde-ganha constante. Uma rodada entre os 10 primeiros e a seguinte entre os 10 últimos. Vai ser assim. Estamos tentando encontrar um caminho, procurar correções com o campeonato em andamento. Oscilações são normais", diz o treinador.

Com a derrota, o Vasco ocupa exatamente o 11º lugar, o primeiro na metade de baixo da tabela. O G4, porém, já está 11 pontos distantes. E para alcançá-lo, o time não vai contar sempre com Juninho Pernambucano. O meia entrou só no segundo tempo contra a Portuguesa e a torcida deve se acostumar com isso.

De acordo com o próprio Dorival Júnior, o veterano não terá sequência de jogos por falta de condições físicas. "Temos que trabalhar dessa maneira com um jogador que é fundamental. Tenho que contar com eles em momentos oportunos, principalmente dentro da nossa casa, quando sua participação vai ser diferente", explicou Dorival. "Temos que respeitar a individualidade. Dificilmente vamos tê-lo em duas partidas seguidas."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.