Oséas não é mais jogador do Santos

Oséas não é mais jogador do Santos, embora estivesse escalado por Celso Roth para enfrentar o Guarani, domingo, e deve se reapresentar ao Cruzeiro nos próximos dias. Os dirigentes assumiram que tinham interesse na dispensa do atacante, chamaram o seu procurador, o ex-volante Bernardo, à Vila Belmiro, hoje cedo, e depois de inúmeros telefonemas e duas reuniões, anunciaram, às 20h, que as partes haviam chegado a um acordo para a rescisão amigável do contrato que terminaria no dia 31 de maio. Embora não tenham sido divulgados os valores do acerto consta que Oséas teria aceitado receber um terço dos R$ 270 mil, referentes aos salários de março, abril e maio, embora tivesse direito a 50% . Embora tenha dito que não apareceria na Vila Belmiro, hoje cedo, ao contrário do que haviam garantido os gerentes santistas José Eli de Miranda (Zito) e Ílton José da Costa, Bernardo participou da primeira reunião por volta das 11h, quando apresentou a contraproposta do jogador para rescindir o contrato. As negociações prosseguiram, por telefone, durante todo o dia até que se chegasse ao acordo, por volta das 19h40. Como Bernardo não tinha procuração específica para assinar o documento rescisório, foi preciso chamar o jogador em sua casa para formalizar o seu desligamento do Santos, depois de 11 jogos e apenas três gols marcados. No momento em que Oséas colocava a sua assinatura no documento da destrato, no 2º andar da Vila Belmiro, Celso Roth dava entrevista no campo 2 do Centro de Treinamentos Rei Pelé, garantindo que não sabia de nada oficialmente. "Estou na expectativa e conto com Oséas para o jogo com o Guarani. O fato dele não ter aparecido para treinar me preocupa porque quebra uma seqüência de trabalho, mas a minha intenção é que Oséas continue com o grupo", disse o técnico.

Agencia Estado,

22 Março 2002 | 20h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.