Osmar está de volta ao Palmeiras e será titular do time

Osmar vai ter uma segunda chance no Palmeiras. Depois de rodar por quatro clubes em um ano e meio (Grêmio, Morelia-MEX, Oita Trinita-JAP e Fortaleza), o atacante volta ao time alviverde na expectativa de retomar o espaço que lhe foi tirado, aparentemente, sem explicação. ?Nunca me disseram porque eu fui deixado de lado. Eu vinha bem, fazendo gols. Falaram para eu sair e eu saí?, diz o jogador, que está com 27 anos. ?Mas agora, mais experiente, quero aproveitar a nova chance. Não sou nenhum craque, mas vou procurar fazer minha parte. Sou mais um guerreiro a serviço do Palmeiras.? O atacante chegou ao time no segundo semestre de 2004, depois de brilhar no Santo André, campeão da Copa do Brasil daquele ano. Assinou contrato até agosto de 2008. Teve um bom desempenho, principalmente no início de 2005, quando fez 10 gols em quatro meses. ?Mas aí recebi um comunicado da diretoria para treinar em separado. Nunca me explicaram o motivo. Dias depois, me emprestaram para o Grêmio?. A vida de nômade começava aí. No clube gaúcho, Osmar ficou só um mês. Fez quatro jogos. ?Pintou para o Palmeiras uma proposta melhor do Morelia, do México?. E lá se foi Osmar. ?Foi legal, o espanhol é parecido com o português. Deu para me virar bem?, conta o atacante. ?Só minha mãe teve problema para se adaptar. Disse ?filho, eu te amo, mas aqui não posso ficar?. E voltou para o Brasil?, emendou o jogador, divertindo-se com a própria história. Depois de seis meses no México, o Palmeiras o mandou para mais longe. Foi jogar no Oita Trinita, do Japão. ?De lá minha mãe gostou!?, diz Osmar, para surpresa dos jornalistas. Ele explica: ?É que ficamos num prédio com vários jogadores brasileiros... Foi bem legal.? Do Japão, Osmar foi para o Fortaleza. Fez cinco jogos no Campeonato Brasileiro e se machucou. ?Tive um problema no púbis. Passei por uma cirurgia, fiquei quatro meses parado, mas agora já estou 100%.? Com uma nova diretoria de futebol e um novo treinador, Osmar ganhou nova chance. Vai começar o Paulistão como titular, enquanto Edmundo e o paraguaio Florentín treinam para entrar em forma. ?Quero aproveitar esses jogos para tentar me manter aqui. É legal saber que conto com a confiança do professor Caio Júnior.? Feliz com a ?experiência internacional? conquistada, Osmar diz que não chegou ainda à sonhada ?independência financeira?. Segundo ele, ?não deu para fazer o pé de meia ainda, deu só para começar a costurar um pouquinho.? Se ficou algum ressentimento do Palmeiras? Osmar garante que não. ?Não guardo mágoa de ninguém. A pessoa que guarda mágoa só faz mal para ela mesma?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.