Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Osmar Loss aposta no amadurecimento do Corinthians em jogos decisivos

Técnico vê equipe se fortalecendo a cada estágio que avança em torneios eliminatórios

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2018 | 11h03

A sequência de jogos tem sido complicada para o Corinthians, mas o técnico Osmar Loss evita priorizar qualquer competição. Ele vem tentando manter um time forte nos três torneios que disputa (Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores) e espera conseguir conciliar todas elas. Na noite de quarta-feira, o time se manteve vivo na Copa do Brasil e agora volta as fichas para o Brasileirão.

"Esperamos nos fortalecer e isso passa por jogos importantes como esse e como contra o Colo-Colo. Os jogos eliminatórios não tem como fazer diferente disso. Eu não gosto de falar de priorizar, mas quando precisar poupar, vamos tomar o cuidado de não fazer isso em jogo eliminatório", avisou o comandante.

 

Ele deixa claro que pretende manter o Corinthians vivo em todos os torneios, mas sabe que o Brasileirão tem mais margem para recuperação, até por ser uma competição de pontos corridos e ainda porque faltam 20 partidas para o final. "Agora vamos estar totalmente focados em recuperar os pontos que perdemos aqui em Chapecó no domingo", comentou.

O Corinthians faz uma campanha irregular no Brasileirão, com 26 pontos e 18 partidas. A derrota no fim de semana para a própria Chapecoense, sofrida com um gol nos acréscimos, reforça a importância de um bom resultado no sábado, contra o Grêmio. O adversário está sete pontos à frente do time paulista, que quer reagir no torneio nacional.

Para Loss, o Corinthians precisa melhorar, principalmente no ataque. "Acho que temos muito que evoluir no terço final de campo, dentro da área. Contra o Vasco criamos mais jogadas e acho que temos mais lastro pra fazer isso. O time se torna mais confiável de trás pra frente. Estamos mais fortes na defesa e vamos trabalhar pra melhorar no ataque também", concluiu.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.