Ricardo Ramírez / EFE
Ricardo Ramírez / EFE

Osorio defende jogadores do México que participaram de festa polêmica

Técnico diz que sabia da festa e que não vê problema na reunião de oito atletas com bebidas alcoólicas e garotas de programa

Estadão Conteúdo

08 Junho 2018 | 09h58

O treinador Juan Carlos Osorio defendeu nesta sexta-feira os jogadores da seleção do México que participaram de uma festa na Cidade do México, no último sábado, com bebida alcoólica e garotas de programa. De acordo com o técnico colombiano, que prepara a equipe nacional para a disputa da Copa do Mundo na Rússia, nada aconteceu de forma escondida e enfatizou que os atletas têm o direito de se divertirem nos dias de folga.

+ Para Rafa Márquez, quinta Copa não é homenagem: 'Posso contribuir'

+ A uma semana da Copa, Brasil segue em 2º lugar no ranking da Fifa

"Sempre estivemos cientes dessa reunião dos jogadores. Estiveram concentrados por 14 dias, com sorte teremos mais 25 ou 30 pela frente. Sabíamos que era importante que tivessem esse tempo livre entre eles", opinou o treinador, que está com a delegação mexicana em Brondby, na Dinamarca, para amistoso contra a seleção local neste sábado.

O meio-campista Andrés Guardado se colocou ao lado dos companheiros envolvidos no episódio. "Creio que, antes de tudo, somos pessoas normais. Como tais, temos direito a fazer o que quisermos em nosso tempo livre. Estamos tranquilos, focados no Mundial. Não cometemos nenhum ato de indisciplina", afirmou o veterano de três Copas.

Aos 31 anos, Guardado crê que o México pode ir longe na competição que começa no próxima quinta-feira, na Rússia. "O grupo sabe o que pode fazer. Temos a esperança de que esse pode ser o nosso Mundial. Há muita confiança entre nós", garantiu o jogador, eliminado com a seleção mexicana nas oitavas de final das edições de 2006, 2010 e 2014 da Copa do Mundo.

O México vai estrear no Grupo F da Copa do Mundo contra a Alemanha, no dia 17, no Estádio Luzhniki, em Moscou. Em seguida, os mexicanos também vão enfrentar a Coreia do Sul, no dia 23, e a Suécia, no dia 27.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.