Rubens Chiri/Divulgação
Rubens Chiri/Divulgação

Osorio evita polêmica e afirma que Pato sabia que ficaria na reserva

Jogador estranha não atuar, mas técnico fala em 'planejamento'

O Estado de S. Paulo

20 de setembro de 2015 | 18h51

Brigar com seu principal jogador não está nos planos de Juan Carlos Osorio. E o treinador são-paulino tratou logo de evitar a polêmica com Alexandre Pato após a partida diante do Avaí. O atacante ficou surpreso em ficar na reserva, mas o técnico alegou que conversou antes e que tudo faz parte do planejamento.

"Ele é um belo profissional, tenho grande admiração por ele, além de grande jogador, nunca ficou com brincadeira e sempre se colocou à disposição. Mas faz parte de um planejamento de sete dias. Hoje iríamos preservar uns seis ou sete dos nossos jogadores que vinham atuando com mais frequência, e Alexandre era um deles. Falei para ele e ele falou que estava à disposição", discursou o treinador.

Rogério Ceni, Ganso, Thiago Mendes, Bruno, foram outros poupados de olho no jogo com o Vasco. Luis Fabiano e Michel Bastos cumpriram suspensão, mas também não jogariam na Ressacada. O São Paulo vai priorizar a Copa do Brasil e quer largar bem nas quartas contra o Vasco, no Morumbi.

"Creio que temos grande possibilidade na Copa do Brasil e vamos lutar nela. O que aconteceu hoje eu assumo, foi minha decisão. Esperaremos o que acontecerá com Vasco, Palmeiras e depois novamente o Vasco, daí digo se acertei ou não", defendeu-se Osorio. "É o que acontece com qualquer equipe que não tem três, quatro. Admiro o Grêmio, um dos melhores times daqui e ontem (sábado) assisti e, sem Galhardo, Geromel, Giuliano, Edinho, Maicon, sofreu uma derrota muito dolorosa contra o Palmeiras", usou como exemplo.

CONFIANÇA

Osorio viu Alexandre Pato bastante cabisbaixo depois de não figurar na lista de Dunga para as eliminatórias. Mas já tratou de passar confiança a seu artilheiro. "Se você trabalha para uma empresa e tem a possibilidade de passar a um cargo maior, sentiria o mesmo que Alexandre (Pato). Ele é um ser humano como todos, creio que está um pouco abalado, é normal, entendo a situação, mas acho que vai superar e voltar a ser quem todos esperam. Vai voltar a ser importante para nós"


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.