Oswaldo ainda não sabe como parar Gil

Depois que ficou confirmado que o São Paulo precisa de uma vitória simples sobre o Corinthians para ficar com o título, Oswaldo de Oliveira não perdeu tempo. Aproveitou a tarde de hoje em Extrema para tentar resolver aquele que considera o item fundamental no sonho de conquistar o título paulista: anular Gil. Oswaldo analisou junto com os jogadores o teipe da vitória corintiana no domingo. Destacou a liberdade que o atacante rival teve principalmente no segundo tempo. Observou os dribles humilhantes do jogador, como quando colocou a bola entre as pernas de Jean. Ou quando teve todo o espaço para fazer o terceiro gol corintiano. Os jogadores lembraram até que por causas dos seus dribles contra o São Paulo, Émerson foi dispensado pelo clube. Oswaldo chegou à conclusão óbvia de que não deu certo a improvisação de Júlio Baptista na lateral. Vai colocar um especialista e um volante só para travar o jogador. "Eu não sou lateral direito. Eu colaborei. Quem manda onde devo atuar é o Oswaldo. Fiz o que pude para tentar marcar o Gil.Mas não sou especialista da posição. E também não o marquei individualmente porque não foi o que o meu treinador pediu", afirmava Júlio Baptista. Apelar para um especialista é a nova aposta de Oswaldo. No coletivo de hoje, ele fez questão de colocar Gabriel entre os titulares. Mas olhava com toda a atenção para o lateral direito dos reservas. Depois de duas semanas, Leonardo, já recuperado das dores no púbis, fazia o seu primeiro treino com todos os jogadores. Entre a juventude e a experiência, o técnico quer a vivência de Leonardo, mas teme as sua condição física. "Eu estou mais do que pronto para jogar. Espero essa chance com muita vontade. Já marquei o Gil e sei que com ele não se pode dar espaço. Ele tem velocidade e habilidade. Não é fácil para ninguém marcá-lo. Só que eu quero muito participar dessa partida e contribuir para fazer o São Paulo campeão. E sem a menor dúvida, Gil é uma das maiores armas corintianas. Eu fico esperando ser escalado", diz, animadíssimo, Gabriel. O medo de Oswaldo em escalá-lo é a sua fixação por atacar. "Fica difícil conter o Gabriel. Ele está acostumado a descer muito. E o Gil não volta, fica sempre na frente. E já deu para perceber que em um lance, uma desatenção, ele é capaz de decidir uma partida. Se ele estiver bem marcado, o São Paulo poderá buscar a vitória de maneira mais segura", afirma, cauteloso, Oswaldo. A vivência de Leonardo contaria muito a seu favor na hora de marcar o Gil. "A minha vivência me deixa mais tranqüilo, mais seguro na hora de ter de marcar um destaque do time adversário. O Gil é um excelente jogador e vem decidindo no Corinthians.Não só contra o São Paulo, mas a grande maioria das partidas que atua. Eu estou voltado de contusão. Mas gostaria demais de jogar", resume Leonardo. O medo do treinador do São Paulo é a velocidade que, com certeza, Gil iria imprimir sabendo que Leonardo mal se recuperou das fortes dores no púbis. As chances maiores são de Gabriel. Mas mesmo se Leonardo jogar, ele também estará proibido de passar a linha do meio do meio de campo. Só Adriano estará liberado pela esquerda. Para tentar travar Gil já está definido que Júlio Baptista tratará de dar o primeiro combate como volante fixo pela direita. No treinamento de hoje, ele mostrou todo o vigor dividindo bolas e fazendo várias faltas. A vida de Gil não será fácil no sábado. "Eu estou mais acostumado a atuar assim. Sou meio de campo. O Gil irá cair pelo meu setor, com certeza, e desta vez ele será melhor marcado", promete, irritado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.