Oswaldo apoia protestos e mudança no horário do jogo

Técnico  diz ser a favor de manifestações em nome da democracia

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

10 Março 2015 | 15h46

  

 

Oswaldo de Oliveira diz que não viu problema  na alteração do horário da partida do Palmeiras contra o XV de Piracicaba, domingo, no Allianz Parque. O jogo estava marcado inicialmente para as 16 horas, mas a Secretaria de Segurança Pública pediu para ser às 11h por causa das manifestações marcadas para o período da tarde em  São Paulo no mesmo dia. O treinador não só concorda com a alteração do horário como também com o protesto popular.

 

"São eventualidades. A gente joga 70 vezes por ano e é inevitável que num país em que vivemos uma ebulição política,aconteçam essas coisas. O Brasil passa por uma fase política de mudança, afirmação e muita coisa está sendo esclarecida. Vejo com bons olhos a manifestação da sociedade rumo à democracia que estamos dando. Por isso, acho normal e vejo com bons olhos tudo isso. Fui um dos que aceitaram a mudança da partida."

 

Oswaldo lembrou que antes da Copa das Confederações o país também vivia um clima de tensão. "Teve até ameaça de a competição não ser disputada", recordou. 

A Secretaria de Segurança Pública pediu que o jogo fosse antecipado para que a Polícia Militar conseguisse dar a segurança necessária para os torcedores durante a partida e também conseguir monitorar possíveis confusões que possam ocorrer durante os protestos. O São Paulo também joga  domingo, às 16 horas, mas a partida será disputada no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.