Divulgação
Divulgação

Oswaldo aprova empate do Palmeiras e culpa cansaço por gol no fim

Treinador destaca a dificuldade que é jogar no Maranhão

Estadão Conteúdo

30 de abril de 2015 | 09h13

O técnico Oswaldo de Oliveira aprovou a atuação e o resultado do Palmeiras, o empate por 1 a 1 com o Sampaio Corrêa, no jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil, em São Luís, na noite de quarta-feira. O treinador destacou que o time encontrou dificuldades, como o gramado do Estádio Castelão e a falta de ritmo de jogo de alguns reservas, mas ainda assim está em boas condições para o jogo de volta, marcado para 12 de maio, no Allianz Parque.

"Dadas as circunstâncias, foi um bom resultado, um resultado que não podemos dispensar. Tivemos uma série de adversidades. Primeiramente, vários jogadores atuaram pela primeira vez. Tivemos a diferença do gramado, bem diferente do que estamos acostumados a jogar. A iluminação, a distância da viagem e a garra do adversário, que é um time competitivo e bem organizado com jogadores rápidos e experientes", analisou.

Oswaldo avaliou que o cansaço levou o Palmeiras a ceder o empate ao Sampaio Corrêa já no final do duelo, aos 43 minutos do segundo tempo. "Fizemos um gol, saímos à frente e tivemos boas oportunidades. No final, tomamos um gol por cansaço. No final das contas, ficaram elas por elas. Temos boas chances de classificação no jogo de volta em nosso estádio", afirmou.

O treinador reiterou que não poderia utilizar os titulares no Maranhão, pois isso poderia afetar a competitividade do time na finalíssima do Campeonato Paulista, no próximo domingo, ainda mais que o Santos não teve compromissos no meio de semana.

"O ideal era ter vindo com quem está jogando mais, com quem é considerado titular, mas era impossível fazer isso hoje. Jogar no domingo, fazer essa viagem e depois jogar no domingo de novo contra um Santos que descansou a semana inteira. Não dava para fazermos isso, mas foi uma oportunidade muito boa para a sequência da equipe do Palmeiras", disse Oswaldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.