Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Oswaldo critica o Palmeiras e pede criatividade e ousadia

Técnico diz com todas as letras que não gostou do jogo domingo

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2015 | 11h13

A má atuação no empate sem gol com o Joinville, domingo, fora de casa, fez com que com o técnico do Palmeiras, Oswaldo de Oliveira, se irritasse com o rendimento de seus jogadores e que cobrasse publicamente por mais ousadia em campo. Para o comandante, o time foi apático nos primeiros dois jogos do Campeonato Brasileiro e por isso precisa evoluir mais do meio para frente. O Palmeiras amarga dois empates do torneio, contra Atlético-MG e Joinville.

"Não diria que foi ruim, pelas circunstância dos jogos, mas nós poderíamos ter aproveitado melhor nas duas partidas. A sensação que tenho é que ficamos aquém do que podemos fazer. Faltou agressividade e não fomos criativos o suficiente. Isso é uma coisa que vamos incentivar e trabalhar para tentar melhorar no próximo jogo", analisou o treinador. O Palmeiras tem dois pontos em duas rodadas.

Além da falta de criatividade, Oswaldo admite preocupação com a ausência de ousadia nas jogadas ofensivas. "O Joinville atuou de forma organizada, compacta e dificultando nossas ações, mas precisávamos de mais ousadia. Insistir um pouco mais nas jogadas de forma mais agressiva."

Como tem dito desde o começo do ano, o treinador ainda não vê o Palmeiras pronto e acredita em melhora nas próximas rodadas. "Jogamos alguns jogos bem no Estadual e outros nem tanto. No Brasileirão será assim também. Daqui a pouco vamos começar a render aquilo que achamos o ideal", assegurou. O elenco volta aos treinamentos na terça-feira.

DUDU

Nesta segunda-feira, a partir das 18 horas, o atacante Dudu e o zagueiro Victor Ramos serão julgados pelas expulsões no segundo jogo da final do Campeonato Paulista contra o Santos. Como é acusado de agressão, Dudu pode ser condenado com uma pena de, no mínimo, 180 dias.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolpalmeirasbrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.