Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Oswaldo dá de ombros para clássico: 'Não vai decidir nada'

Técnico minimiza pressão sobre o Palmeiras

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

23 Março 2015 | 07h06

O Palmeiras convive com um incômodo jejum que terá que ser encarado nesta quarta-feira, quando enfrenta o São Paulo, no Allianz Parque. O time alviverde vem de dez clássicos consecutivos sem vitórias - foram oito derrotas e dois empates. Se o tabu incomoda o torcedor palmeirense, o mesmo não se pode falar de Oswaldo de Oliveira.

"Não estou preocupado com tabu. É um jogo que não vai decidir nada. São duas grandes equipes e qualquer um pode ganhar. Vencer o São Paulo é bom, porque dá moral, mas ninguém vai morrer se der empate ou se não conseguirmos a vitória", minimizou o treinador.

Para Oswaldo, ele não pode ser culpado pelos resultados ruins diante dos rivais. "Vamos jogar 70 jogos na temporada. Se cada vez que eu for jogar com os rivais, ser lembrado disso, vai ser complicado. Não podem achar que eu vou salvar a terra. Assim fica complicado. É um jogo normal como outro qualquer."

O discurso de Oswaldo parece que não é da boca para fora. Tanto que mesmo tendo Arouca e Dudu pendurados com dois cartões amarelos, ambos foram para o jogo diante do São Bernardo. Para o clássico, o treinador pode ter o retorno do zagueiro Tobio e do meia Allione, que não atuaram no domingo por sentirem dores musculares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.