Mauricio de Souza/Estadão
Mauricio de Souza/Estadão

Oswaldo de Oliveira aprova testes e celebra atuação do Santos

Com o resultado, time se manteve como primeiro colocado no Grupo C e da classificação geral

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2014 | 08h21

SANTOS - O técnico Oswaldo de Oliveira reconheceu que a expulsão do Yago, do Bragantino, aos 22 minutos do primeiro tempo, facilitou para o Santos chegar à vitória por 5 a 0, mas gostou do comportamento do time com quatro atacantes e disse que o seu time venceria na noite de quinta-feira mesmo se não tivesse a vantagem de um jogador. "A equipe já vinha se comportando bem, principalmente pela mobilidade que mostrou do meio para frente, e ganharia mesmo sem a expulsão", disse o treinador.

Oswaldo não escondeu que o esquema com dois volantes de marcação - Arouca e Cícero - e quatro atacantes está aprovado e elogiou Gabriel, Geuvânio e Leandro Damião, mas ficou mais impressionado com o velocista Rildo. "Ele só não fez chover".

Com a goleada na noite de quinta-feira, na Vila Belmiro, o Santos se manteve como primeiro colocado no Grupo C e classificação geral da primeira fase do Campeonato Paulista, empatado com o Palmeiras com 26 pontos, mas com melhor saldo de gols - 16 contra 11 do concorrente - e ainda tem a vantagem de ser mandante em dois dos quatro jogos restantes. Mesmo assim, Oswaldo pediu para que os jogadores evitem empolgação.

"Temos muito a caminhar e a aprender. São mais 12 pontos a serem jogados, o Palmeiras está junto com a gente e no nosso grupo os outros times estão à uma distância que ainda pode ser buscada", disse.

Ao sair de campo, substituído por Lucas Lima, Geuvânio foi abraçado por Oswaldo, que, na coletiva de imprensa justificou o motivo de seu gesto: "Geuvânio é um garoto sensível e senti que ele estava chateado com as últimas atuações. Fiquei feliz com os dois gols marcados por ele e o abracei como irmão mais velho", justificou.

Geuvânio retribuiu o carinho do treinador, com elogios. "O time fica bastante ofensivo nesse esquema. Nosso ataque é forte e está dando certo. O professor mexeu certinho ali, está de parabéns pelas mexidas que fez. Estou mais tranquilo para trabalhar. Contrato renovado e feliz pelos dois gols", comemorou o garoto.

Outro que elogiou o trabalho do treinador foi Leandro Damião, que demonstrou alívio por ter marcado o seu segundo gol pelo Santos, o último da vitória por 5 a 0. "Fico feliz porque o time está ganhando e eu participei de várias jogadas. Vou trabalhar para fazer gols. O time está bem, graças ao trabalho de Oswaldo, que sabe conversar e é brincalhão até com vocês. Eu estou trabalhando para puxar marcação e ajudar o Santos a fazer gols", disse o atacante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.