Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Oswaldo de Oliveira evita clima de revanche e elogia o Penapolense

Derrota para o rival é a única do Santos no Paulistão até o momento

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

28 de março de 2014 | 12h21

SANTOS - O Santos enfrentará o Penapolense neste domingo, às 16h, na Vila Belmiro, para tentar garantir vaga na final do Campeonato Paulista e, por tabela, dar o troco no time que o goleou por 4 a 1 no dia 16 de fevereiro, em Penápolis, em confronto válido pela primeira fase da competição. Nesta sexta-feira, porém, Oswaldo de Oliveira evitou fomentar um clima de revanche para a semifinal.

Ao ser indagado em entrevista coletiva no CT Rei Pelé se reencontrar o Penapolense será a chance de o time santista se redimir daquela goleada, o comandante garantiu: "Não tenho essa preocupação, respeitamos o Penapolense como respeitaríamos o São Paulo, na mesma proporção. É o nosso adversário na semifinal, é lógico que trazemos recursos e recordações do último jogo, o que aconteceria com o São Paulo, outra equipe que não vencemos. Nossa preocupação é o adversário e a forma como temos de atuar para vencer a partida".

O treinador está convencido de que não é uma vantagem para o Santos não disputar um clássico na semifinal. "O Penapolense jogou muito bem contra o São Paulo, teve chances de decidir antes dos pênaltis, fazendo isso contra um timaço que é o São Paulo. É claro que camisa, tradição, clássico, tudo tem peso, é inegável, mas passou quem mereceu e vamos encarar com muita responsabilidade", afirmou Oswaldo, para depois fazer elogios ao adversário: "É organizado, joga de forma compacta e tem um contra-ataque rápido, com bolas paradas insinuantes".

TIME

Para chegar à decisão, Oswaldo deverá repetir a formação que goleou a Ponte Preta por 4 a 0, na última quarta-feira, na Vila Belmiro, pela quartas de final do Paulistão. Porém, o treinador revelou que está considerando a possibilidade de promover a entrada do atacante Rildo caso precise fazer alguma substituição no time por questões físicas.

"Sinceramente, ainda estou examinando a situação do Rildo. Ele não jogou o último jogo porque tem vínculo com a Ponte Preta. É um jogador de quem tenho gostado muito, mas também tenho gostado dos quatro (atuais titulares do setor ofensivo). Ele está descansado, o pessoal que não participou do treinamento de hoje (sexta-feira) se ressente ainda do jogo, eles estão em recuperação. Se por acaso encontrarmos alguém que o Rildo possa fazer a função que não tenha se recuperado totalmente, vou usá-lo. Do contrário, são os mesmos jogadores que iniciaram contra a Ponte Preta."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.