Oswaldo de Oliveira fecha salário com o Palmeiras

Ex-técnico do Santos vence 'concorrência' e se reúne com diretoria neste início de semana para assinar contrato com o clube

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

13 de dezembro de 2014 | 19h38

As negociações entre Oswaldo de Oliveira e Palmeiras avançaram e o técnico deve ser anunciado como substituto de Dorival Júnior até esta terça-feira. Oswaldo foi o escolhido numa lista que tinha cinco nomes. O acordo só saiu depois que as partes chegaram a um consenso em relação ao salário.

O presidente Paulo Nobre olhou para a relação custo-benefício. Na quarta-feira, o gerente de futebol Cícero Souza teve uma reunião com Oswaldo e ofereceu R$ 250 mil de salário – R$ 50 mil a mais do que recebia Dorival Júnior. O treinador não gostou da primeira proposta e foi necessário que Alexandre Mattos entrasse na negociação. Foi o dirigente, inclusive, quem sugeriu a contratação do ex-técnico do Santos.

Mattos está no exterior para acertar algumas negociações do Cruzeiro e, assim que retornar, deve assumir oficialmente o cargo de diretor executivo do Palmeiras. Entretanto, ele já trabalha para o Alviverde e fez questão de ligar para Oswaldo e subir a proposta para R$ 300 mil, patamar que ganhava Gilson Kleina. No Santos, Oswaldo recebia R$ 400 mil. O contrato de Oswaldo com o Palmeiras, no entanto, ainda não foi assinado. Isso só deve acontecer na terça-feira. Falta, por exemplo, definir alguns valores de premiação em caso de conquista de título.

A LISTA

Assim como aconteceu na contratação de Ricardo Gareca, o Palmeiras escolheu seu novo técnico através de entrevistas com os candidatos ao cargo deixado por Dorival Júnior. Oswaldo de Oliveira era a prioridade. Abel Braga, Mano Menezes, Argel e um outro técnico jovem também eram opções.

Com Abel Braga, o clube sequer falou de valores. O plano C era Mano Menezes, mas esse nem foi procurado e pouco empolgou por causa do salário. Ele ganhava cerca de R$ 640 mil no Corinthians. Outro nome comentado, mas que mudaria totalmente o perfil de treinador, foi o de Argel. Destaque do Figueirense neste ano, ele tem bastante prestígio e é considerado um dos treinadores mais promissores do mercado por muita gente dentro do clube.

Um quinto nome, que foi tratado em sigilo, aparecia como última opção. Mas Nobre já avisou que não quer mais fazer grandes apostas ou experiencias, como o argentino Ricardo Gareca. Ou seja, não irá apostar em técnicos estrangeiros.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasOswaldo de Oliveira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.