Oswaldo espera por Robinho e Ávalos

Os jogadores do Santos estão muito desgastados com a viagem a La Paz, onde o time foi derrotado quarta-feira por 4 a 3 pela Libertadores da América, e o técnico Oswaldo de Oliveira deixou para definir neste sábado a formação da equipe para o jogo de domingo contra o Ituano, em Itu. Robinho e Ávalos, que levaram pancadas no joelho, fizeram tratamento a base de gelo e devem jogar. "Acho que não é nada grave e acredito que poderei contar com esses jogadores, mas é melhor esperar mais um pouquinho", entende Oswaldo de Oliveira, que hoje conversou durante 40 minutos com os atletas. "É uma rotina", disse ele, explicando que sempre conversa com os atletas, analisando o último jogo e comentando sobre o futuro, além do andamento das competições. "Há uma coisa que é virar o seletor de canais; quando você passa do Paulista para a Libertadores, da Libertadores para o Paulista, a gente precisa situar os jogadores, pois a concepção das competições é diferente". Conversou bastante em separado com Robinho, mas não revelou o teor da conversa. O sempre tranqüilo Oswaldo de Oliveira estava levemente irritado com a história do rodízio de goleiros. "Vocês estão insistindo em chamar de rodízio e rodízio é quando um atleta reveza sucessivamente com outro nas partidas e aqui é uma substituição técnica", disse ele, comentando que o que houve foi uma troca técnica e tática. Por conta disso, Mauro volta domingo à condição de titular e, se nada acontecer com ele, Henao só voltará ao gol santista quando o time jogar em cidades de elevada altitude. O desgaste físico provocado pela viagem era hoje a maior preocupação de Oswaldo de Oliveira, que está acompanhando a recuperação deles para saber com quem poderá contar no jogo de domingo. "Cada um se recupera de uma forma, uns mais rapidamente, outros demoram mais", disse. Ele viu seus jogadores cansados e aliviou os treinamentos de hoje. "Alguns ainda vão estar ressentidos e até domingo teremos uma resposta mais garantida". Na avaliação do treinador, Tcheco, Paulo César, Léo, Ávalos, Deivid e Basílio estavam ainda muito cansados, enquanto Fabinho, Domingos e Robinho foram os jogadores que sentiram menos os efeitos da altitude de La Paz. Por tudo isso, o treinador encara esse momento como o mais crítico de seu time. "Estamos vindo do carnaval, do clássico contra o Corinthians, da estréia da Libertadores na altitude e temos dois jogos seguidos fora de casa enquanto ainda nos recuperamos da maratona". DÚVIDAS - Além dos jogadores que estão cansados, Oswaldo de Oliveira quer uma definição amanhã para Fábio Baiano e Fernando Diniz. Mas ambos deverão ser vetados para o jogo contra o Ituano. Fábio voltou a sentir dores no tornozelo no treino de quinta-feira e continua em tratamento médico. Fernando Diniz, que ainda não jogou pelo Santos, comentou que veio do Cruzeiro com um problema no quadril. Ele comenta que optou por participar dos treinamentos para não perder a condição física. "Fui suportando a dor e arriscando que ela iria diminuir com o tempo e é isso o que está ocorrendo". Ele disse que ainda está evoluindo. "Estou com algumas limitações ainda e o Oswaldo tem visto nos treinamentos. Por isso, ele achou que tinha melhores opções para jogar e não me levou e, na hora em que achar que tenho condições de colaborar, vai me levar".

Agencia Estado,

18 de fevereiro de 2005 | 19h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.