Satiro Sodré/Divulgação
Satiro Sodré/Divulgação

Oswaldo lamenta pênaltis e absolve Seedorf no Botafogo

Para o técnico, o desgaste físico não é a principal razão para a queda técnica do holandês

AE, Agência Estado

19 de setembro de 2013 | 11h38

BELO HORIZONTE - O técnico Oswaldo de Oliveira avaliou que os dois pênaltis marcados na partida contra o Cruzeiro foram decisivos para a derrota por 3 a 0 do Botafogo, na noite de quarta-feira, no Mineirão, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Enquanto Seedorf desperdiçou a cobrança que empataria o jogo em 1 a 1, Julio Baptista converteu o pênalti para o time mineiro, que, assim, abriu 2 a 0 e encaminhou a vitória.

"Os pênaltis desequilibraram no jogo. O que perdemos, nos daria a igualdade e, pelo que o jogo vinha mostrando, nos credenciaria a virar o jogo. O outro, porque esfriou a nossa equipe. O cara escorrega, cai em cima do meu zagueiro e o cara dá pênalti, é um negocio absurdo. O Botafogo criou tantas chances ou mais que o Cruzeiro", afirmou Oswaldo, reclamando do pênalti marcado a favor do time mineiro.

O treinador botafoguense, porém, saiu em defesa de Seedorf e ressaltou que o holandês é o melhor jogador do seu time. "Ele já perdeu outros pênaltis, perdeu um na final do Campeonato Carioca, contra o Fluminense. O Lodeiro também já perdeu. Todo mundo perde. Era importante que fizesse, claro, mas não é o culpado. Ele é o grande jogador do Botafogo e não o considero culpado de nada", disse.

Oswaldo também minimizou a atuação ruim de Seedorf, que não vem conseguindo se destacar nas últimas partidas, ao contrário do que fez nas rodadas iniciais do Campeonato Brasileiro. Para o técnico, o desgaste físico não é a principal razão para a queda técnica do holandês.

"Não acredito. Ele tem se recuperado bem, como toda a equipe. Com mais algumas rodadas, não só ele, mas o Marcelo Mattos e outros vão sentir, pois são jogadores que têm iniciado todos os jogos. A diferença do Seedorf é que, com a evolução da competição, os adversários o vendo jogar, começam a criar estratégias de marcação. Inclusive com faltas violentas, como ele reclamou contra o Atlético Paranaense, para citar uma partida isolada", comentou.

Derrotado pelo líder Cruzeiro, o Botafogo permanece com 42 pontos, sete a menos do que o primeiro colocado, em segundo lugar no Campeonato Brasileiro. O time volta a entrar em campo no próximo domingo, quando vai enfrentar o Bahia, no Maracanã, pela 23ª rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.