J. F. Diório/Estadão
J. F. Diório/Estadão

Oswaldo não quer frear euforia do Palmeiras após estreia no Paulista

Equipe teve atuação empolgante no primeiro tempo da vitória sobre o Audax; alguns titulares ainda ficarão à disposição do técnico

MATEUS SILVA ALVES, O Estado de S. Paulo

31 de janeiro de 2015 | 20h21

A torcida do Palmeiras está em estado de euforia, não há como negar. A enxurrada de contratações do início da temporada deixou os torcedores muito animados e, evidentemente, a boa estreia no Campeonato Paulista serviu para elevar ainda mais o grau de contentamento dos palmeirenses. Ao contrário do que manda o senso comum, Oswaldo de Oliveira não pretende conter esse entusiasmo. Ele quer apenas controlá-lo para que não se transforme em confiança exagerada.

"Eu não quero conter a euforia, não", afirmou o técnico em entrevista coletiva concedida logo após a vitória por 3 a 1 sobre o Audax, no Allianz Parque. "Eu quero transformar essa euforia em energia para os momentos difíceis que nós teremos pela frente."

O treinador palmeirense contou que fez questão de escalar neste sábado apenas jogadores que fizeram a pré-temporada desde o início, por isso vários jogadores que chegaram ao clube após o começo dos trabalhos não entraram em campo. Segundo Oswaldo, foi uma estratégia para minimizar a vantagem do Audax de ter melhor entrosamento. Aliás, o técnico elogiou muito o time dirigido por Fernando Diniz.


"Eu sabia que eles iriam exigir muito de nós. Eles jogam de uma maneira diferente, ousada, que exige muito do adversário", disse Oswaldo. "Para jogar bem contra eles, é preciso estar muito bem preparado. Quero dar parabéns aos jogadores, que cumpriram tudo aquilo que foi combinado."

Apesar de ter exaltado a equipe que venceu o Audax, Oswaldo não escondeu que está ansioso para poder escalar todos os novos contratados do Palmeiras. Tanto que ele até enumerou os atletas que espera ter à disposição em breve.

"Nós temos Dudu, Arouca, Rafael Marques, Alan Patrick, Valdivia, Leandro...", falou o técnico, mencionando até os jogadores que estão fora da equipe por lesão. "São jogadores que fatalmente vão estar preparados em breve e vão lutar para participar da equipe. A minha ideia é que todos joguem."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.