Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Oswaldo não se empolga com boa fase do time do Palmeiras

Técnico diz que equipe ainda precisa enfrentar times mais fortes

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

05 Março 2015 | 07h04

A goleada por 4 a 1 do Palmeiras sobre o Vitória da Conquista e a classificação antecipada para a segunda fase da Copa do Brasil não foram suficientes para o técnico Oswaldo de Oliveira se empolgar. O treinador deixou claro que não vê motivos para grande comemoração e pede para que tenham calma ao analisar a sua equipe. Mostrando consciência, ele destaca que muitos desafios maiores estão pela frente.

"É um trabalho que está sendo desenvolvido. Temos um caminho longo para ser percorrido e nossos grandes adversários ainda estão por vir. Equipes mais bem preparadas e com níveis técnicos superiores estão pelo caminho. Temos uma evolução e estamos bem encaminhados, só que tem muito chão para percorrer ainda", alertou o treinador palmeirense.

De fato, o Palmeiras até o momento enfrentou apenas duas equipes da Série A do Campeonato Brasileiro e perdeu os dois jogos. Foram derrotas por 1 a 0 para o Corinthians e Ponte Preta. O próximo desafio importante é na quarta-feira, quando encara o Santos, na Vila Belmiro. Antes, tem pela frente o Bragantino, sábado, no Allianz Parque.

O discurso de Oswaldo não é para os jogadores, ele garante. "Fizemos escolhas meticulosas na hora de montar o elenco. Não precisamos ficar muito se desgastante e ficar chamando a atenção deles. Eles são profissionais e têm consciência do que precisam fazer e que o caminho ainda é longo para percorrer", explicou.

O elenco do Palmeiras volta para São Paulo no começo da noite desta quinta-feira e a reapresentação acontece na sexta-feira pela manhã. Para o jogo contra o Bragantino, o treinador não poderá contar com o zagueiro Vitor Hugo e o meia Robinho, ambos suspensos. Zé Roberto deve retornar ao time, após se recuperar de uma cirurgia na boca. 

Mais conteúdo sobre:
Palmeiras Oswaldo de Oliveira Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.