Oswaldo opta por bom ambiente no Flu

A família, o carinho da torcida e o bom ambiente do Fluminense foram os principais responsáveis pela permanência do técnico Oswaldo de Oliveira no clube, para a disputa da temporada de 2002. A recusa à proposta do Corinthians, financeiramente melhor, não chega a ser surpreendente, já que o treinador tem total liberdade no time carioca.No clube paulista, estaria sujeito a uma pressão maior de torcedores e dirigentes. Em uma rápida reunião no início da tarde de hoje, Oliveira acertou a renovação de seu contrato, por mais um ano, com o presidente do Fluminense, David Fischel. Além dele, todos os integrantes da comissão técnica ficam no Tricolor. Oswaldo não quis comentar sobre as propostas que recebeu de outros clubes e, principalmente, sobre a do Corinthians. Apenas disse que estava feliz por estar acertando sua permanência no Tricolor, mas não descartou a possibilidade de um dia voltar a treinar a equipe paulista. Seduzido pela torcida do Fluminense, mesmo com as notícias de sua transferência para outros clubes, Oswaldo sempre frisou sua intenção de permanecer no Tricolor. No dia 5, durante a quarta-de-final do Campeonato Brasileiro, o treinador disse ter vivido uma de suas maiores emoções quando foi homenageado por um coro de 50 mil torcedores, que cantaram "Parabéns", pelo dia de seu aniversário. A principal preocupação de Oswaldo, agora, passa a ser a renovação dos contratos dos principais jogadores do Fluminense.Vários atletas terão seus compromissos encerrados com o Tricolor até janeiro de 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.