Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Oswaldo revela mágoa com diretoria passada do Santos

Agora no Palmeiras, treinador critica antigos diretores

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

11 Março 2015 | 11h17

A partida entre Santos e Palmeiras, na Vila Belmiro, será especial para o técnico Oswaldo de Oliveira nesta quarta-feira. Encarar o time alvinegro pela primeira vez, após sua segunda passagem pelo clube, tem um sabor especial pela forma com que trabalhou e saiu do clube no ano passado. E ele não esconde de ninguém que é um confronto que mexe com ele.

"Santos é uma cidade que amo. O Santos é um clube que me deu as maiores lições de futebol. Eu ia ao Maracanã com o meu pai para ver o Santos e deixei muitos amigos no clube nessas passagens que tive por lá", recordou o treinador, que trabalhou em 2005 e no ano passado na Vila Belmiro. Em 2014, ficou do início do ano até setembro, quando foi demitido de forma surpreendente, como aconteceu atualmente com Enderson Moreira.

Se para a cidade e o time do Santos, Oswaldo é só elogios, o mesmo não se pode dizer quando se refere a diretoria passada, com quem ele trabalhou. "A torcida do Santos me apoiou desde o início e contestou minha saída. Os frutos estão sendo colhidos agora, com as revelações do clube, que muitos começaram a ter espaço comigo. A única ressalva que faço é para a diretoria passada, que não honrou com o que foi combinado comigo, ao contrário dessa atual diretoria. Na segunda-feira mandei minha carteira de trabalho foi para Santos e nesta terça já voltou assinada com a rescisão", contou.

Oswaldo deixou o Santos em setembro, mas ainda não havia registrado a sua rescisão na carteira de trabalho. Ele alega que recebeu o salário até maio apenas e, por isso, critica a postura da diretoria anterior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.