Oswaldo: situação insustentável na Vila

O empate com o América por 3 a 3 neste domingo na 13ª rodada do Campeonato Paulista tornou insustentável a situação do técnico Oswaldo de Oliveira, que mais uma vez saiu vaiado da Vila Belmiro, mas desta vez os torcedores permaneceram protestando por bom tempo no estádio. Seu destino será decidido nesta segunda-feira, mas muito dificilmente ele permanecerá, agora que as chances da conquista do Estadual são mínimas e dependem de um grande desastre na trajetória vitoriosa do São Paulo. Resta a Libertadores e a situação do time é também complicada, depois das duas derrotas.Zito, que é supervisor de futebol, evitou comentar a permanência de Oswaldo de Oliveira. Admitiu, porém, que o que a situação ficou difícil, "mas não insuportável". Procurou atribuir o empate à vontade do América, ao fato de o Santos ter um time jovem que sentiu o peso das vaias da torcida e que perdeu muitos gols no começo do jogo". Marcelo Teixeira não fez comentários ao entrar no vestiário depois da partida.Robinho saiu chateado do campo. "O São Paulo já estava na frente e ficou numa situação melhor ainda, mas temos de continuar batalhando", comentou. Para ele, "o América mostrou qualidade, mas nosso time não poderia ter perdido pontos em casa".Esse foi o terceiro empate do Santos na Vila Belmiro. "Empatar em casa complica porque num campeonato de pontos corridos e temos de ganhar. E não ganhamos". Robinho disse que não sabia como ia ficar a situação do técnico Oswaldo de Oliveira. "Se ele tiver de continuar, vamos ver. Nós esperamos que ele continue".O atacante acredita que o time precisa melhorar "e muito". "Tentei buscar o jogo, a marcação estava forte, saímos na frente e infelizmente pecamos em não marcar bem o América e empatamos". Para ele, a culpa é de todos. "O Santos trabalha de uma forma só e quando ganha ou perde, todos ganham ou perdem".Segundo Robinho, "a carga vai ser difícil para o professor Oswaldo porque a torcida está pegando no pé e nós jogadores sabemos que todos são culpados". E admitiu: "os jogadores têm de melhorar mais e a comissão técnica também". O atacante disse que o objetivo era ganhar os dois campeonatos. "Infelizmente, não ganhamos esse".Ricardinho lamentou o empate, comentando que o Santos esteve sempre na frente, mas deu oportunidade para o América empatar o jogo duas vezes. "Agora ficou mais difícil, mas temos de continuar trabalhando e a obrigação de conseguir os resultados no Paulista e na Libertadores". Basílio concorda: "ficou complicado, mas enquanto o campeonato estiver rolando, temos de continuar buscando".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.