Otimista, Júnior Lopes comanda seu primeiro treino na Portuguesa

Apesar do anúncio ter acontecido na terça-feira, a Portuguesa só apresentou oficialmente o treinador Júnior Lopes nesta sexta-feira no Canindé. Ao lado do gerente de futebol Luiz Simplício, o técnico que comandou o Tombense-MG até a semifinal do Campeonato Mineiro conheceu os jogadores e iniciou os seus trabalhos com um treino regenerativo.

Estadão Conteúdo

24 de abril de 2015 | 21h05

Mostrando bastante confiança, Júnior Lopes falou da vontade de conduzir a Lusa de volta para a Série B do Brasileiro em 2016 e explicou aos jogadores que gostou do que assistiu no empate com o Ituano por 1 a 1, na quinta-feira, em jogo válido pela segunda fase da Copa do Brasil.

Com relação aos reforços, o treinador ainda não quis adiantar nenhum nome, mas informou que pretende trabalhar junto com todo o departamento de futebol para montar um time competitivo para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C.

"A Portuguesa é um time grande do futebol brasileiro e não merece permanecer na Série C. Vamos trabalhar unidos e dando o melhor ao time para conquistarmos o acesso", prometeu o treinador, de 41 anos.

Filho do também técnico e agora diretor do Botafogo, Antônio Lopes, Junior Lopes chega ao clube com a aprovação da diretoria após o grande trabalho levando o Tombense para as semifinais do Campeonato Mineiro com um aproveitamento superior a 60%. No ano passado, ele foi o responsável pela montagem do elenco do Macaé que terminou a Série C com o título e, consequentemente, garantiu o acesso para a Série B.

OPOSIÇÃO GANHA FORÇA - Após a renúncia de Ilídio Lico da presidência e Jorge Manuel Gonçalves o suceder, a Portuguesa conheceu na noite desta quinta-feira o seu novo vice-presidente de finanças. Manuel Tomé foi eleito com 59 votos e se torna o braço direito do atual mandatário no ousado objetivo de reformular o clube, que vive o seu pior momento na história.

Manuel Tomé era do grupo de oposição a Ilídio Lico e se transforma em mais uma cara nova na atual diretoria. Na votação, ele ganhou o apoio de duas "figuras carimbadas" da Lusa. São eles, o ex-mandatário Manuel da Lupa e o ex-vice-presidente Luís Iaúca. Tomé disputava com Diego Reis e venceu por 59 a 49.

A votação aconteceu no Salão Nobre do Canindé e recebeu 113 conselheiros, que nomearam Manuel Tomé como vice-presidente de finanças e Rodrigo Domingues Lopes como o novo vice-presidente do Conselho Deliberativo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPortuguesaSérie C

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.