Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Pablo garante vitória sem brilho para o Corinthians no pior público da Arena

Alvinegro se recupera de derrota para o Santo André com triunfo por 1 a 0 sobre o Novorizontino

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

15 Fevereiro 2017 | 21h26

Uma jogada ensaiada garantiu a vitória do Corinthians sobre o Novorizontino nesta quarta-feira, por 1 a 0, na Arena Corinthians. Graças ao pé calibrado de Fagner e a cabeçada certeira de Pablo, o time alvinegro venceu a primeira na Arena no Paulista, mas ainda mostrou deficiências e não empolga. Pior. Bateu, com sobras a marca de pior público da história do estádio, com apenas 11.708 pagantes. A marca anterior era de 17.135, contra o Atlético-PR, ano passado.

Aos trancos e barrancos, com direito a levar sustos nos minutos finais, o Corinthians venceu e não convenceu. Não é por acaso que das quatro vitórias que Carille tem no comando da equipe - contando os amistosos - três foram por 1 a 0. Falta qualidade para criar e, principalmente, finalizar. Pelo menos nesta quarta, isso foi superado com a bola aérea, mas o sentimento que fica é que faltou futebol, torcida e gols na arena.

Taticamente, o time até mostrou organização. Fellipe Bastos e Gabriel ficaram mais na marcação, enquanto Romero, Rodriguinho e Marlone subia para o ataque e ajudavam Jô. O problema, porém, era a falta de capricho.

Show de passes errados e correria desgovernada fez com que o corintiano ainda desconfiasse muito desta equipe. Vontade é algo que o torcedor não pode reclamar que falta para alguns jogadores, como Romero e Marlone. Talvez por se sentirem pressionados depois da surpreendente derrota por 2 a 0 para o Santo André, em casa, na rodada passada, a bola queimava no pé dos afoitos jogadores, principalmente quando o jogo estava 0 a 0.

O placar só foi aberto graças a uma jogada muito treinada pelo técnico Fábio Carille. Ele conta com vários jogadores acima de 1,80m de altura. Pablo é um deles. E Fagner tem se destacado nas bolas paradas durante os treinos. E assim, aos 27, o lateral cobrou o primeiro escanteio - Fellipe Bastos bateu os outros - no meio da área para o zagueiro acertar uma forte cabeçada e abrir o placar. 

CLÁSSICO

No segundo tempo, os poucos torcedores presentes na arena começaram a gritar o nome de Kazim e pouco depois o turco entrou e foi aplaudido. Jô saiu vaiado. O preferido dos corintianos também não deu muitos motivos para sorrir. Foi até pior do que o titular.

A preocupação do torcedor é que quarta-feira que vem o time volta à Arena para enfrentar o rival Palmeiras, em seu primeiro clássico na temporada em jogos oficiais. Jadson não terá condições físicas. Logo, o time será o mesmo ou com poucas mudanças em comparação ao que jogou nesta quarta-feira.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 X 0 NOVORIZONTINO

Gol: Pablo, aos 27 do 1º Tempo.

CORINTHIANS (4-5-1): Cássio; Fagner, Pablo, Balbuena e Moisés; Gabriel, Fellipe Bastos (Camacho), Rodriguinho, Marlone (Léo Jabá) e Romero; Jô (Kazim). Técnico: Fábio Carille.

NOVORIZONTINO (4-4-2): Tom; Cléo Silva, Domingues, Guilherme Teixeira e João Lucas; Doriva, Eder (Henrique 

Santos), Fernando Gabriel (Caique) e Roberto; Everaldo (Henrique Roberto) e Alexandro. Técnico: Júnior Rocha.

Juiz: Flávio Rodrigues de Souza.

Cartões amarelos: Everaldo, Fagner, Domingues, Léo Jabá.

Público:  11.708 pagantes.

Renda: R$ 473.376,10.

Local: Arena Corinthians, em São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.