Daniel Augusto Jr|Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr|Agência Corinthians

Pablo lamenta falta de treino no Corinthians e espera jogo pegado contra chilenos

Equipe encara sequência de partidas decisivas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2017 | 15h11

Com uma sequência de dois jogos por semana, o técnico Fábio Carille tem pouco tempo para fazer mudanças na equipe do Corinthians e o jeito é apostar na conversa. O zagueiro Pablo lamenta o fato da equipe não conseguir ter mais tempo para fazer treinamentos táticos, como acontecia no início da temporada e também projeta um confronto de muita pegada diante do Universidad do Chile, quarta-feira, às 21h45, na Arena Corinthians. 

"Vai ser um mês difícil, só com decisão. Não treinar é complicado, porque você não consegue mudar muita coisa. Vai depender só da gente mesmo e teremos que manter a pegada para não ter surpresa", disse o defensor, que assim como os demais atletas que foram titulares diante do Botafogo-SP, no sábado, nem foi para o gramado nesta segunda-feira. Eles ficaram na parte interna do CT Joaquim Grava, enquanto os demais atletas fizeram um trabalho técnico. 

Se conseguir avançar no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil, o Corinthians pode totalizar nove jogos só no mês de abril. "Temos que manter o gás, porque agora só teremos decisões e jogos difíceis. A gente sabe que será necessário um nível de concentração muito alto para ganharmos a maioria dos jogos e nos classificarmos. São várias decisões agora e temos que entrar ligados, pois um detalhe pode acabar com o nosso sonho", destacou o defensor corintiano. 

Uma das características principais de competições continentais é o estilo de arbitragem diferente, em que se permite jogadas mais duras e confrontos mais acirrados. Para ter ideia do que terá pela frente, os jogadores têm recebido informações da comissão técnica sobre o estilo dos árbitros e Pablo acredita que o confronto desta quarta-feira já será bem diferente do que tem sido em jogos válidos pelo Campeonato Paulista. 

"O estilo de jogo é mais de pegada e teremos que entrar com uma vontade maior, porque os caras são raçudos. Temos que entrar ligados para evitar surpresa, ainda mais em um jogo em casa. Vai ser um jogo diferente em todos os termos", projetou.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.