Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians
Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Pablo se esquiva sobre futuro e diz que seria triste deixar o Corinthians

Zagueiro tem contrato até dezembro e ainda não sabe se vai permanecer para a próxima temporada

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2017 | 07h00

O zagueiro Pablo deve ser a novidade do Corinthians para enfrentar a Ponte Preta, domingo, em Campinas. Este pode ser um dos últimos jogos do defensor com a camisa alvinegra. Com contrato de empréstimo até dezembro e a negociação para renovar contrato emperrada, ele evita falar do assunto, mas afirma que deseja permanecer e que deixar o clube seria algo triste.

+ Podcast Corinthians: Um time de pendurados e Andrés Sanchez vira candidato

"São coisas que nem sempre se encaixam perfeitamente, a vontade do atleta com o destino. Às vezes escolhemos e às vezes não. Caso isso aconteça (sair do Corinthians), e espero que não, vai ficar um sentimento de tristeza. Estou há alguns meses aqui, me identifico muito com o clube e com a torcida maravilhosa. Aqui tem pressão e o momento do amor. Claro que ficaria triste, mas futebol tem dessas", comentou o defensor. 

Pablo chegou ao Corinthians com valor fixado de compra de 3 milhões de euros (R$ 11,4 milhões). O clube chegou a acertar uma forma de pagamento para o Bordeaux, mas as negociações emperraram com o empresário do atleta, Fernando César. A divergência é em relação a forma de pagamento das luvas e comissões para o agente. 

+ Consenso, Andrés Sanchez será candidato à presidência do Corinthians

No meio da indefinição, Pablo diz que não quer pensar sobre o assunto no momento e que seu foco está apenas na disputa pelo título do Campeonato Brasileiro. "Acho que temos que pensar nisso mais para frente, vamos pensar primeiro no hoje, em definir o campeonato. No final do campeonato a gente pensa nisso e espero que se defina da melhor forma possível para todos os lados. Estou esquecendo tudo e focando somente no Campeonato Brasileiro", comentou.

+ Presidente do Corinthians admite interesse em Zé Rafael, do Bahia

Ele ainda garante que a indefinição não deve atrapalhá-lo em campo. "Quando entro em campo, nada me atrapalha e não vai ser isso que vai tirar minha concentração e profissionalismo em campo. Tenho demonstrado isso. São oito meses de negociação e joguei vários jogos com essa indecisão. Estou muito focado e determinado a dar o melhor. A chance de ficar é enorme, todos sabem que quero ficar. Voltamos a conversar novamente e isso é importante", contou. 

 

Mais conteúdo sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.