Divulgação/ São Paulo
Divulgação/ São Paulo

Pablo usa campanha do São Paulo na Libertadores de 2016 de exemplo

Naquele ano, time também precisou superar a fase prévia do torneio e avançou até a semifinal

Redação, O Estado de S. Paulo

04 de fevereiro de 2019 | 16h48

O São Paulo começa nesta quarta-feira sua 19ª participação na Libertadores, quando visitará o Talleres, na Argentina, pela segunda fase do torneio. Para chegar à fase de grupos, terá de eliminar os argentinos e, posteriormente, quem passar de Palestino-CHI x Independiente Medellín-COL. Apesar do caminho árduo, o atacante Pablo recorre a um exemplo interno para se motivar.

"O São Paulo tem tradição na Libertadores. Emocionalmente falando, nessa fase, temos de lembrar de 2016, que o clube entrou na mesma fase e chegou na semifinal. Isso nos possibilita sonhar com coisas grandes na competição", disse o camisa 12, nesta segunda-feira, em entrevista coletiva concedida no CT da Barra Funda.

A diferença foi que em 2016 a Libertadores era disputada por menos clubes (38, contra os atuais 47), logo, havia uma etapa a menos nas fases preliminares. Eram duas, contra as três atuais, e o São Paulo estreou na segunda. Ou seja, só precisou superar um adversário (a Universidad César Vallejo, do Peru) para carimbar seu lugar na fase nobre da competição. Depois, pararia apenas na semifinal, eliminado pelo Atlético Nacional, da Colômbia, que seria o campeão.

"Chegamos preparados para encarar o torneio. E conscientes desta responsabilidade. Tenho certeza que a equipe está preparada para esse desafio. É uma pressão sempre que você entra para jogar um jogo pelo São Paulo. Jogo internacional é de pressão, e temos de estar muito conscientes", reiterou Pablo, que no ano passado conquistou a Copa Sul-Americana pelo Athletico Paranaense.

"Sul-Americana e Libertadores são competições distintas, mas tento trazer do que aprendi e conquistei ano passado. Tem que lembrar que quando se fala de Libertadores com o São Paulo motiva, é diferente. Os times fazem catimba, enchem estádio, principalmente contra o São Paulo", disse o centroavante, que foi artilheiro da Sul-Americana passada, com cinco gols.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.