Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Pacaembu abre os portões a seus 'inquilinos' Santos e Corinthians

Com a promessa de transformar o estádio em sua casa, time do litoral recebe ‘antigo dono’ alvinegro em clássico às 17h

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

04 Março 2018 | 07h00

O Pacaembu recebe neste domingo o clássico entre o Santos, clube que quer utilizá-lo muito mais em 2018, dividindo em 50% os mandos de campo com a Vila Belmiro, e o Corinthians, o antigo “inquilino” do local. O passado e o presente de um dos estádios mais charmosos da capital estão representados simbolicamente no dérbi das 17 horas. 

Santos informa que mais de 34 mil ingressos foram vendidos para o clássico

Realizar mais jogos na capital foi uma das promessas de campanha que ajudaram a eleger José Carlos como presidente do Santos. Ele promete que o time jogará mais vezes no Pacaembu do que em qualquer outro ano de sua história. Ele tentou fazer com que o duelo com o Bragantino, a estreia como mandante no Campeonato Paulista, fosse no Pacaembu, mas teve os planos frustrados pela Federação Paulista. Mas ele conseguiu mandar o clássico de hoje. O Santos negocia com o prefeito de São Paulo, João Doria, para o estádio ser sua casa oficialmente, sem o pagamento de aluguel. 

Isso não significa que a Vila Belmiro será deixada de lado. A ideia é apenas reservar datas em São Paulo para que não haja conflito com jogos do trio Corinthians, Palmeiras e São Paulo, o que poderia forçar a Polícia Militar a vetar um eventual pedido do Santos. Em solicitações anteriores, a PM vetou os jogos do Santos na capital para evitar o conflito com torcedores de outros clubes grandes.

A escolha divide o Santos em duas alas: a primeira acredita que o Santos é de Santos e, portanto, deve jogar na Vila; a outra pede mais jogos na capital. Diante da questão, o técnico Jair Ventura valorizou as duas. “O Santos tem o privilégio de ter duas casas. Seremos fortes nas duas”, comentou ao Estado.

Um dos argumentos favoráveis ao Pacaembu é financeiro. O dirigente avalia que o clube pode atrair maiores bilheterias em São Paulo. No ano passado, a média de público do Santos como mandante foi de 11.759 pessoas, sendo 8.264 na Vila Belmiro (em 25 jogos) e 22.682 no Pacaembu (oito partidas). 

O retrospecto também é positivo. O palco foi um grande aliado do Santos nos últimos três anos, onde conseguiu uma invencibilidade de 25 partidas (22 vitórias e três empates). A longa sequência foi de abril de 2014 a 28 de outubro de 2017. 

Os santistas estão empolgados para hoje, com torcida única. A última parcial de ingressos indica que foram vendidos 34 mil ingressos. Peres usou os veículos de comunicação do clube para chamar a torcida com a campanha “Vem para o Paca”. Para aproveitar o retorno do clássico ao estádio – o último foi em 2013 –, os marqueteiros organizaram evento de gastronomia e entretenimento na Praça Charles Miller antes do jogo. 

Casa corintiana. Durante décadas, o Pacaembu foi a casa corintiana. O primeiro jogo do clube ali aconteceu no dia 28 de abril de 1940. Desde então, foram 1.690 partidas. No Pacaembu, o Corinthians conquistou o Paulista do IV Centenário de 1954, o penta brasileiro em 2011 e a inédita Libertadores de 2012.

Quando estava prestes a inaugurar a Arena Corinthians, em 2014, em Itaquera, o clube e a torcida fizeram uma festa para celebrar a história alvinegra no Pacaembu. No dia de aniversário do estádio, 27 de abril, venceu o Flamengo por 2 a 0 pelo Brasileiro, no jogo que marcou a transição para a nova casa.

Por causa da troca do gramado na Arena Corinthians, os três primeiros jogos no Paulistão foram realizados no Pacaembu. “O Pacaembu foi por muitos anos a casa do Corinthians. O corintiano conhece o local muito bem”, disse Fagner.

FICHA TÉCNICA

Santos x Corinthians

Santos: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, Braz e Jean Mota; Alison, Renato (Matheus Jesus), Vecchio, Sasha e Copete; Gabigol. Técnico: Jair Ventura.

Corinthians: Cássio; Fagner, Balbuena, Henrique e Maycon; Gabriel, Renê Júnior, Romero, Rodriguinho, Jadson e Clayson. Técnico: Fábio Carille.

Juiz: Luiz Flávio de Oliveira.

Local: Pacaembu.

Horário: 17h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.