Pacaembu será aliado do Corinthians contra o rebaixamento

Diretoria do clube conseguiu o adiamento das reformas e, assim, mandará duas partidas no estádio municipal

Cosme Rímoli, Jornal da Tarde

18 de outubro de 2007 | 20h50

O Corinthians terá o Pacaembu como aliado para tentar se salvar do rebaixamento para a Série B. A diretoria conseguiu o adiamento das reformas do estádio municipal e, assim, fará suas duas próximas partidas em São Paulo no estádio preferido dos jogadores - contra Figueirense e Atlético Paranaense. A decisão de adiar o início das obras foi do secretário de esportes, Walter Feldman. O vice de futebol, Antoine Gebran, havia antecipado que conseguiria com Feldman o adiamento. "Todos sabem o quanto é importante para São Paulo o Corinthians não ser rebaixado. Então, nada mais justo do que o time atuar o máximo que puder no Pacaembu", disse Gebran. Com isso, só a partida contra o Vasco da Gama, no dia 25 de novembro, não acontecerá no Pacaembu. Dependendo da situação em que o Corinthians estiver no Brasileiro, o jogo poderá ser disputado no estádio do Canindé ou em uma cidade do interior paulista. Visita no DEIC Apesar da renúncia de Alberto Dualib, continuam as investigações sobre irregularidades na gestão do ex-presidente do Corinthians. Na tarde desta quinta-feira, policiais do Departamento Especial de Investigações Criminais (DEIC) estiveram no Parque São Jorge para pegar documentos da MSI. Ainda não houve oficialmente o rompimento com a empresa. As investigações também apontam que o prejuízo com notas frias pode ir muito além dos R$ 400 mil que os primeiros indícios apontavam. A desconfiança é que o clube tenha perdido nada menos de R$ 5 milhões. Nesta sexta-feira, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, em entrevista coletiva, pretende mostrar a real situação do clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.