Flavia Lago de Castro
Flavia Lago de Castro

Pai dá nome de Diego Lugano ao filho e sonha conhecer zagueiro uruguaio do São Paulo

Felipe de Castro vai assistir ao duelo com o Botafogo nesta quarta-feira

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

21 de março de 2017 | 20h10

Diego Lugano completou nesta terça-feira quatro dias de vida. Ele é filho do empresário Felipe de Castro, que resolveu batizar a criança com o nome do seu grande ídolo do São Paulo. "Desde 2010, quando fui para a Copa do Mundo na África do Sul, falava que se um dia tivesse um filho eu chamaria ele de Lugano. E foi o que aconteceu", conta Felipe.

O bebê nasceu no sábado, em Orlândia, no interior de São Paulo, e foi registrado como Diego Lugano Lago de Castro. "Eu sou são-paulino fanático e para mim o Lugano é mito. Quando minha mulher engravidou, falei que gostaria de chamar o bebê de Diego Lugano. Ela liberou. Se fosse menina ela quem daria o nome. Ninguém acreditava que eu faria isso", diz.

Felipe lembra que sua esposa aceitou numa boa, mas já avisou que se eles tiverem um próximo filho, não será o pai que colocará o nome. "Eu chamo ele de Lugano. Meu sogro e minha sogra não acreditavam que eu faria isso e muitos estão me chamando de doido", afirma o rapaz, que considera o zagueiro uruguaio como o maior jogador da história do São Paulo.

Nesta quarta-feira ele pretende ir assistir ao jogo do São Paulo contra o Botafogo, em Ribeirão Preto, distante 50 quilômetros de sua cidade. Como meta, gostaria de conhecer o homem que ajudou a batizar seu filho. "Nunca tive o prazer de conhecê-lo e gostaria muito. Sou tão fã que dei o nome dele ao meu filho. Para mim, ele é o maior da história do São Paulo, mais que o Rogério", diz.

O bebê já até assistiu ao jogo do São Paulo contra o Ituano, no sábado, ainda na maternidade. "Fiz uma foto dele de boca aberta que parece que está gritando gol", brinca o pai, que quer o filho dividindo sua paixão pelo Tricolor. "Se ele já tivesse todas as vacinas em dia, eu levaria para o estádio em Ribeirão Preto", confessou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.