Pai de Santo reaparece e faz trabalho no Parque São Jorge

Pai Nilson, que chegou a ter uma sala no Parque São Jorge, volta para mais um despacho para 'salvar' o clube

01 de outubro de 2007 | 21h24

Pai Nilson é uma velha entidade corintiana, conhecido e respeitado por técnicos e jogadores que passaram pelo Parque São Jorge nas décadas de 1980 e, sobretudo, 1990. Quando o time não conseguia fazer seu trabalho em campo, muitos apelavam para o poder das rezas do pai de santo. Pai Nilson chegou a ter uma sala dentro do Parque São Jorge, de onde fazia seus despachos. Garante ter livrado a cara do Corinthians em partidas importantíssimas nos anos em que prestou serviços ao clube. Com a modernização do futebol, perdeu espaço e caiu no ostracismo. O time começou também a ganhar títulos e o trabalho do religioso deixou se ser solicitado. Perderam a fé no homem. A salinha no clube lhe foi tirada e não permitiram mais sua entrada no clube. Pai Nilson voltou para a Bahia, de onde veio, mas não sem antes processar o Corinthians por 18 anos de serviços prestados. Queria obter um vínculo na carteira para conseguir sua aposentadoria. Nesta segunda-feira, Pai Nilson reapareceu. E fez seu trabalho, diante do Parque São Jorge. Como nos velhos tempos.

Tudo o que sabemos sobre:
Pai NilsonCorinthiansprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.