AFP/Geoff Caddick
AFP/Geoff Caddick

País de Gales acaba com sonho ucraniano, derrota rival e volta para a Copa do Mundo após 64 anos

Gol que vale a vaga sai dos pés de Gareth Bale, mas tem colaboração direta do rival Yarmolenko; seleção da Ucrânia lamenta derrota por 1 a 0

Redação, Estadão Conteúdo

05 de junho de 2022 | 15h59

O País de Gales está de volta à Copa do Mundo. Após 64 anos, a seleção galesa retornou ao Mundial ao vencer a Ucrânia por 1 a 0, neste domingo, em Cardiff, pelas Eliminatórias Europeias. O gol da classificação foi contra, marcado por Yarmolenko, após cobrança de falta de Gareth Bale.

A primeira e única Copa do Mundo do País de Gales foi em 1958. Na ocasião, a seleção foi eliminada nas quartas de final ao perder para a seleção brasileira por 1 a 0, com direito a golaço de Pelé, o primeiro do "Rei do Futebol" em Mundiais. Ele tinha apenas 17 anos. Depois disso, o País de Gales nunca mais conseguiu se classificar para o evento.

Já a Ucrânia, que disputou sua única Copa em 2006, na Alemanha, não desistiu até o apito final e foi aplaudida pelos torcedores galeses presentes no estádio. A vaga vinha sendo buscada pela equipe ucraniana como forma de trazer alguma alegria ao seu povo, que sofre com a invasão russa e a guerra desde o fim de fevereiro. São mais de 100 dias de conflito armado.

Com a classificação do País de Gales, a Europa conheceu os seus 13 representantes na Copa do Mundo do Catar. Os outros 12 são: Sérvia, Espanha, Suíça, França, Bélgica, Dinamarca, Holanda, Croácia, Inglaterra, Alemanha, Polônia e Portugal. O País de Gales entrou no Grupo B da competição, com Inglaterra, Irã e Estados Unidos. Tem chances de avançar para as oitavas.

Ainda com a vaga do time de Bale, a Copa já conhece 30 dos seus 32 classificados. Os dois lugares restantes serão definidos ainda neste mês de junho, em confrontos de repescagem. O torneio está previsto para começar no dia 21 de novembro. A final ocorre em 18 de dezembro.

Em Cardiff, a Ucrânia foi superior no primeiro tempo, dominou do início ao fim, mas não teve a sorte ao seu lado. Logo aos dois minutos, chegou a marcar um gol com Zinchenko, mas o árbitro anulou, afirmando que não havia autorizado o recomeço da partida na cobrança de falta. Apesar disso, continuou em cima e viu o goleiro Hennessey fazer defesas importantes para assegurar o 0 a 0.

O goleiro, inclusive, foi o principal nome do País de Gales nos primeiros 45 minutos. Ele deu total confiança ao time, que fez seu único gol aos 33. Gareth Bale cobrou falta. Ela iria no meio do gol, mas Yarmolenko, capitão de um dos destaques frente à Escócia, desviou e enganou o goleiro Bushchan.

O segundo tempo foi diferente. A Ucrânia precisou sair para o ataque e acabou dando espaço para o adversário criar. Mesmo assim, a seleção ucraniana criou bons momentos, a exemplo da chegada de Tsygankov, que obrigou Hennessey a fazer um milagre. Na sobra, Yaremchuk mandou para fora.

Com o desespero da Ucrânia, o País de Gales foi ganhando fôlego e por muito pouco não fez o segundo. Johnson mandou a trave. Nos minutos finais, a seleção ucraniana novamente se impôs, mas não teve bola que passasse por Hennessey, o grande herói da classificação da equipe galesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.