Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Palco de estreia do Brasil, Rostov dá de ombros para a seleção

Torcida brasileira deve ser a principal responsável por agitar a cidade no domingo

Almir Leite, enviado especial / Rostov, O Estado de S.Paulo

16 Junho 2018 | 05h00

Rostov vai entrar no clima de Copa do Mundo neste sábado. Espera-se, pelo menos. E graças aos brasileiros, que devem chegar à cidade para assistir a estreia do Brasil, domingo, contra a Suíça. A expectativa é pela presença de alguns milhares deles, para garantir a festa. Isso porque, se dependesse da população local, a Copa correria um grande risco de passar batido.

+ Fred treina e viaja, mas ainda não tem presença garantida no banco do Brasil

+ 'Contra grandes, sempre jogamos bem', avisa goleiro da Suíça

Nesta sexta-feira, a cidade de pouco mais de 1,2 milhão de habitantes fundada em 1749 às margens do Rio Don seguia sua rotina. Trânsito marcado por motoristas apressados e impacientes, fim de tarde com as pessoas procurando chegar com rapidez a suas residências e praticamente nenhuma alusão ao futebol da Copa do Mundo.

As exceções eram a praça que dá acesso a uma das principais avenidas de Rostov, com algumas bandeiras alusivas à competição, e o caminho que dá acesso à prefeitura, com mais bandeiras e um pórtico. Fora disso, nada lembrava a Copa.

O Estado esteve no início da noite na Rostov Arena, que tem capacidade para 45 mil pessoas e foi construída ao custo oficial de US$ 350 milhões (R$ 1,3 bilhão). Lá, eram dados os retoques finais para receber Brasil e Suíça, para os treinos oficiais da véspera do jogo. Entorno sendo limpo, gramado dos canteiros plantados e regados e alguns testes de acesso.

 

A reportagem conversou rapidamente com Vladimir Ivanov, voluntário de 20 anos, enquanto ele aguardava uma carona para levá-lo para casa. Questionado sobre a pouca importância dada à Copa pelos moradores da cidade – um centro universitário –, ele disse: “As pessoas aqui não gostam muito de futebol, acho que é por isso”. Gentil, antes de partir ele explicou que se tornou voluntário por gostar de festa, de agitação e pela oportunidade de conhecer pessoas de outros lugares. “Aqui há voluntários de todas as partes da Rússia.”

Os brasileiros começaram a chegar nesta sexta mesmo. No fim da manhã, pequenos grupos já haviam desembarcado no aeroporto de Rostov, que fica em zona rural, a cerca de uma hora do centro da cidade. No voo que aterrissou às 19h40 vieram por volta de 100 brasileiros, a maioria formando grupos compostos por pernambucanos e brasilienses. Para este sábado, está prevista a chegada da maioria dos fãs do time de Tite, mas não há uma estimativa confiável sobre quantos brasileiros estarão na cidade no fim de semana. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.