Hélvio Romero/AE
Hélvio Romero/AE

Palermo faz proposta oficial ao Santos por Rafael

O clube italiano ofereceu mais de R$ 9,2 milhões por 70% dos direitos econômicos do goleiro

Luís Augusto Monaco e Sanches Filho, Agência Estado

19 de agosto de 2011 | 20h59

SANTOS - O Santos já tem em mãos a proposta oficial de quatro milhões de euros (mais de R$ 9,2 milhões) do Palermo, da Itália, por 70% dos direitos econômicos de Rafael. Os dirigentes balançaram diante dos números e prometem responder nos próximos dias. O goleiro já acertou salários por um contrato de cinco temporadas. O encontro do presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro com o diretor esportivo do clube italiano, Sean Sogliano, e com o observador de jogadores, Luca Cattani, foi em São Paulo, nesta quinta à noite.

Apesar de afirmar que pretende continuar no Santos para disputar o Mundial de Clubes, em dezembro, no Japão, Rafael gostou da proposta porque se a negociação for concluída, ele chegará ao Palermo com a garantia de ser titular, substituindo Sirigu, reserva na seleção italiana e que foi vendido ao PSG.

Rafael tem 15% dos seus direitos e o Santos é dono dos outros 85%. Caso venda 70% dos direitos ao Palermo vai lucrar, tanto negociando os 15% como também como clube formador, quando o goleiro se transferir para um clube de ponta da Europa.

O que poderia levar Rafael a recusar a proposta dos italianos é o seu sonho de defender a seleção brasileira na Olimpíada de 2012, em Londres, mas com a mudança de clube ele vai se tornar mais experiente, o que poderá facilitar a sua convocação. Rafael é filho de português, tem dupla cidadania, o que o torna mais valorizado na Europa por não ocupar vaga de estrangeiro.

A saída de Rafael não chegaria a ser problema porque o Santos tem dois bons reservas: o experiente Aranha, de 30 anos, e o baiano Vladimir, de 22 anos, e que desde a base era considerado o mais promissor dos goleiros em formação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.