Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Palmeiras abre mão de tradição e contrata um goleiro por ano

Após passar 18 anos sem contar com reforços para a posição, clube nos últimos cinco anos trouxe cinco jogadores

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

17 de dezembro de 2017 | 07h00

Depois de passar 18 anos sem contratar goleiros, o Palmeiras fixou nas últimas temporadas a tradição de se reforçar para a posição. Weverton, do Atlético-PR, foi anunciado na última sexta-feira, assinou vínculo por cinco anos é o quinto jogador trazido para a função desde dezembro de 2012.

+ Atlético-MG quer contratar o meia Raphael Veiga, do Palmeiras

+ Leia as últimas de esportes

O clube conhecido por formar goleiros na base mudou de filosofia recentemente. Desde 2012 a equipe trouxe Fernando Prass, o primeiro a ser contratado desde Gato Fernández, em 1994. Prass veio do Vasco e chegou como um dos primeiros reforços para a disputa da Série B no ano seguinte. Atualmente ele é o integrante do elenco com mais tempo de Palmeiras. Prass acaba de prolongar o vínculo para até dezembro de 2018.

Depois de Prass, vieram Jailson, Aranha e Vágner. Deste trio, apenas o primeiro nome continua no elenco. Aranha defendeu a Ponte Preta na última temporada e Vágner, apesar de continuar vinculado ao Palmeiras, tem sido frequentemente emprestado. Em 2017 ele esteve no Guarani e nos últimos dias acertou retornou ao Ituano, time em que foi campeão paulista em 2014.

A chegada de Weverton teve como consequência, fazer a diretoria abrir mão de um jogador mais jovem. Vinícius Silvestre, de 23 anos, foi emprestado para a Ponte Preta para ganhar experiência. O quarto goleiro do elenco em 2018 será Fuzato, de 20 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFernando Prass

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.