Palmeiras acelera acordo com Pirelli

A boa campanha do Palmeiras na Copa Libertadores da América acelerou o processo de acordo entre o clube e a Pirelli, sua futura patrocinadora. Faltam detalhes mínimos para que o contrato seja assinado e o anúncio deve ser feito até o fim da semana. É provável, até, que a camisa já esteja com a logomarca da empresa estampada para a final da competição, caso o time passe pelo Boca Juniors, segundo informou à Agência Estado um dirigente ligado ao presidente Mustafá Contursi.O ponto que provocava mais discordância - a duração do contrato - foi solucionado. O Palmeiras queria dois anos e a multinacional, apenas seis meses. No fim, vão acertar vínculo de um ano. A Pirelli pagará cerca de R$ 500 mil mensais, valor semelhante ao que a Parmalat dava ao clube para ter sua marca estampada na camisa.O presidente da Pirelli no Brasil, Giorgio Della Seta, está na Itália e volta para São Paulo nos próximos dias. Os dirigentes palmeirenses e representantes da empresa esperam seu retorno para fechar o negócio.O Palmeiras está sem patrocínio desde o início do ano e, por isso, a quantidade de dinheiro que tinha em caixa reduziu bastante. O clube contabilizava cerca de R$ 45 milhões, mas com algumas contratações e com os gastos do mês, esse valor caiu em pelo menos R$ 10 milhões. Mesmo assim, a situação ainda é bem tranqüila. "Poderíamos ficar mais uns dois anos sem patrocínio que não haveria problema. Por isso, não estamos desesperados em fechar o acordo", afirmou Américo Faria, diretor de futebol.Certo é que, mesmo com o patrocínio e com mais R$ 500 mil mensais de receita, o clube perderá alguns de seus principais jogadores para o segundo semestre. Alex e Felipe dificilmente ficarão no Palestra Itália. Argel fechou com o Benfica e Tuta interessa a Ponte Preta. O volante Claudecir está insatisfeito com a reserva e pode voltar para o São Caetano.Quase pronto - O time está praticamente definido para a partida de quinta-feira, contra o Boca Juniors, no estádio La Bombonera, em Buenos Aires. A principal mudança deverá ser a entrada de Basílio no lugar de Juninho, que não foi bem nas últimas duas partidas. "O Basílio está aproveitando as chances que vem tendo", comentou o técnico Celso Roth. O atacante entrou no segundo tempo contra o Cruzeiro, agradou e deve ser mantido. A única dúvida é no meio-de-campo. Magrão cumpriu suspensão e pode voltar à equipe, mas Fernando teve boa atuação no Mineirão e tem chances de permanecer entre os titulares. Os atletas treinarão neste domingo e na segunda-feira na Academia de Futebol. Na terça, a delegação segue para a Argentina.

Agencia Estado,

02 de junho de 2001 | 21h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.