Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Palmeiras acerta com três do Grêmio e faz nova investida por Marcelo Moreno

Vilson já está contratado e Léo Gago e Leandro estão encaminhados como reforços no Alviverde

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

10 de fevereiro de 2013 | 16h05

SÃO PAULO - A negociação envolvendo a transferência do atacante Barcos para o Grêmio ainda gera polêmica pelos lados do Palmeiras. A pressão em cima da diretoria para definir os jogadores que serão envolvidos no acordo é grande. Por isso, o diretor-executivo, José Carlos Brunoro, pretende resolver tudo logo no início da semana. Dos cinco jogadores que poderiam chegar, um já foi contratado e outros dois estão apalavrados com o clube.

O zagueiro Vilson assinou contrato de empréstimo até o final do ano, mesmo período que acaba seu contrato com o Grêmio. Já o volante Léo Gago e o atacante Leandro devem acertar nos próximos dias também um empréstimo por uma temporada. O meia Rondinelly ainda negocia, mas o problema maior continua sendo Marcelo Moreno.

Mesmo após as desastradas declarações do pai e empresário do jogador, dizendo, dentre outras coisas, que o Palmeiras é um time fracassado e que seu filho não jogaria em um time da Série B, Brunoro pretende negociar e tentar convencer o atacante a jogar pelo Alviverde. Para isso, vai tratar diretamente com outro empresário do atleta, Fabiano Farah, para tentar um acerto.

Mas na primeira conversa ouviu que o atacante não quer deixar o Grêmio. A ideia de Brunoro é tentar mostrar para Moreno que ele não será utilizado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo e que no Palmeiras poderia se tornar ídolo, mesmo chegando com desconfiança e pressão, após as declarações de seu pai.

Se realmente não houver acordo com Marcelo Moreno, o Palmeiras vai tentar envolver outro jogador na negociação e, caso não consiga, a última opção seria receber uma compensação financeira. O clube já recebeu R$ 4 milhões e o Grêmio ainda quitou a dívida que o Alviverde tinha com a LDU (cerca de R$ 1,4 milhão) e a que existia com Barcos, em relação a direitos de imagem e salários atrasados (R$ 1,5 milhão). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.