Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Palmeiras acorda no segundo tempo e espanta fantasmas

Depois de ir para o intervalo perdendo por 1 a 0, Alviverde faz 5 a 1

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

13 de maio de 2015 | 00h06

Depois de um primeiro tempo que fez a torcida temer a volta de velhos fantasmas de eliminações vergonhosas em casa, o Palmeiras acordou no segundo e avançou para a terceira fase da Copa do Brasil com uma goleada por 5 a 1 sobre o Sampaio Corrêa. Seu adversário será ASA ou Vitória, que fazem o jogo de ida hoje em Arapiraca.

No papel, Oswaldo escalou um time mais equilibrado em comparação aos últimos jogos. Ele colocou Egídio na lateral-esquerda, mandou Zé Roberto para o meio e pôs Amaral no lugar de Robinho. Com dois volantes de verdade -e não Robinho improvisado -, o plano era dar liberdade para Zé Roberto criar jogadas de ataque. Tudo isso era bonito na teoria, mas na prática não deu muito certo no primeiro tempo.

O Sampaio Corrêa armou um esquema tático que acabou dificultando a vida do Palmeiras. Arlindo Maracanã avançou a marcação e fez com que o time da casa não conseguisse trabalhar a bola com calma.

Com o passar do tempo, o time maranhense foi se soltando e vendo que dava para atacar. Aos 23 minutos, a bola caiu nos pés de Pimentinha, ele fez grande jogada e cruzou para a Diones marcar de cabeça. E aí o Sampaio Corrêa se trancou na defesa.

DA ÁGUA PARA O VINHO

No intervalo, Oswaldo tirou Amaral - que só dava passes laterais -por Robinho e o time ganhou um bom passador para ajudar Zé Roberto.

Depois de Cristaldo exigir duas defesas do goleiro, aos quatro minutos a pressão deu resultado e Vitor Hugo empatou. Seis minutos depois, após boa troca de passes, Rafael Marques deixou a bola passar para Lucas, que cruzou forte para a área, quase como um chute, Cristaldo mergulhou e, de peixinho, fez o segundo. A torcida respirava aliviada.

Pouco depois, aos 21, Dudu aproveitou recuo errado de Luiz Otávio, ficou com a bola e rolou para Zé Roberto marcar o terceiro. O jogo parecia liquidado, mas inexplicavelmente o Palmeiras deixava os zagueiros expostos e levou duas bolas na trave em dois minutos.

O alívio definitivo veio só com o gol de Kelvin (que havia entrado no lugar de Cristaldo) aos 34 minutos, pegando o rebote de um pênalti sofrido por Dudu cobrado por Zé Roberto.

Houve tempo para Leandro entrar em campo depois de quase sete meses e Egídio fazer uma bela jogada pela esquerda e cruzar na medida para Zé Roberto fazer um raro gol de cabeça.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 5 X 1 SAMPAIO CORRÊA

PALMEIRAS - Fernando Prass; Lucas, Wellington, Vitor Hugo e Egídio; Gabriel, Amaral (Robinho), Zé Roberto, Rafael Marques e Dudu (Leandro); Cristaldo (Kelvin). Técnico - Oswaldo de Oliveira.

SAMPAIO CORRÊA - Ruan; Gil Mineiro, Luiz Otávio, Edivânio e Raí; Moisés, Diones, Rogério (Edgar) e Válber (Cleitinho); Pimentinha (Dudu) e Robert. Técnico - Arlindo Maracanã (interino).

GOLS - Diones, aos 23 minutos do primeiro tempo; Vitor Hugo aos 4, Cristaldo aos 10, Zé Roberto, aos 21 e aos 47, e Kelvin, de pênalti, aos 34 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Fábio Filipus (PR).

CARTÕES AMARELOS - Válber e Nei Mineiro (Sampaio Corrêa); Fernando Prass e Dudu (Palmeiras).

PÚBLICO - 24.443 pagantes.

RENDA - R$ 921.447,62.

LOCAL - Allianz Parque, em São Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolCopa do BrasilPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.