Palmeiras: Adãozinho e Elson na geladeira

O Palmeiras estréia nesta quarta-feira no Campeonato Brasileiro contra o Atlético Mineiro, às 18 horas no Parque Antártica, com o ambiente cada vez pior. Nesta segunda-feira, o volante Adãozinho e o meia Elson não participaram do coletivo que definiu a equipe. A diretoria não comenta, mas os dois jogadores deverão ser afastados e passar a treinar em separado. A situação foi mais humilhante porque os dois jogadores participaram normalmente do aquecimento. Em seguida, realizaram a sessão de alongamentos com o restante do grupo. A surpresa só ocorreu no momento em que Picerni distribuiu os coletes. Ambos foram informados de que teriam que participar de atividades de fortalecimento ao lado do preparador físico Irineu Loturco. Adãozinho caiu em desgraça com Picerni ao mentir sobre a presença de Vágner Love e Lúcio na boate Porkarias, em Bragança Paulista. Foi desmentido horas depois pelo gerente da casa noturna. Já Elson afirmou que Picerni não entendia nada de futebol. Menos de 48 horas depois, pediu desculpas. Mas nesta segunda, o treinador mostrou que não engoliu as declarações do meia, que tem proposta do São Paulo e agrada ao técnico Cuca. REFORÇOS - O zagueiro Gabriel, da Ponte Preta, está apalavrado com o presidente Mustafá Contursi, mas a diretoria da Ponte Preta exige a inclusão do volante Flávio, em disponibilidade no Parque Antártica, no negócio. O problema é que Flávio é empresariado por Juan Figer, que pretende colocá-lo no Guarani de Campinas.O atacante Fred, velho sonho do técnico Jair Picerni, foi sondado, mas os dirigentes do América Mineiro não se manifestaram. Para a reserva de Lúcio, Galego, do Paulista de Jundiaí, é o nome pedido pela comissão técnica. Zé Carlos, do São Caetano, corre por fora. Mas, enquanto nada é resolvido oficialmente, a novidade será Thiago Gentil, velho conhecido da torcida. O atacante, que estava do Al Ithihad, da Arábia Saudita, voltou ao Brasil há dois meses e será reintegrado. Recebeu propostas de São Caetano e Grêmio, mas não foi liberado por Mustafá. ?Temos que pensar em estrear bem neste campeonato. Em uma competição de pontos corridos, o ideal é sair na frente para não ter que correr atrás no segundo turno. Essa história de que o grupo está rachado é balela. Vamos partir para cima do Atlético?, aposta o goleiro Marcos. O técnico Jair Picerni quer esquecer os desentendimentos entre Marcos e Muñoz e as críticas que recebeu do volante Elson semana passada. ?Problemas existem em todos os setores de atividade. Basta sabemos como contornar. O ideal é que nada que ocorre fora de campo interfira no rendimento do time?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.