Palmeiras admite inferioridade no ABC

No vestiário do Palmeiras logo após a derrota por 3 a 0 para o São Caetano não houve quem tirasse os méritos do adversário. Na verdade, todos lamentaram as falhas que provocaram a derrota na estréia na Copa Sul-Americana. O goleiro Marcos, como sempre, foi muito franco em suas palavras. ?Precisamos admitir que o São Caetano foi infinitamente melhor do que o Palmeiras. Começamos bem no jogo, mas levamos dois gols de cabeça, sendo que no primeiro o Adhemar estava sozinho na área, depois não conseguimos mais chegar com perigo." O volante Magrão, também consciente, lamentou o resultado. ?Não esperávamos uma derrota como essa. O time esteve apático e não conseguiu criar e nem marcar o São Caetano. Não podemos tomar gols bobos como os que aconteceram." Depois, completou. ?Agora ficou difícil, mas temos que entrar, jogar com garra contra o Cruzeiro e buscar a vitória." Como perdeu o primeiro jogo, o Palmeiras terá que enfrentar o outro time do Grupo 4, justamente o Cruzeiro, dia 13 de agosto. Só depois haverá o cruzamento entre São Caetano e o time mineiro, atual líder do Campeonato Brasileiro. O técnico Jair Picerni também reconheceu que o Palmeiras não foi bem na sua volta à elite nacional. ?Não jogamos bem, mas é preciso lembrar que pegamos um adversário forte, que marcou muito e não deu espaço." O Palmeiras, agora, tentará esquecer esta derrota diante do Paulista, sábado, em Jundiaí, pela Série B do Campeonato Brasileiro.

Agencia Estado,

30 de julho de 2003 | 22h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.