Palmeiras admite pressão por bom resultado no Mineirão

Equipe precisa da vitória contra o Cruzeiro no domingo para não deixar o Grêmio abrir uma vantagem maior

Vitor Marques - Jornal da Tarde,

12 de setembro de 2008 | 21h31

Quando entrar em campo no domingo, contra o Cruzeiro, no Mineirão, o Palmeiras já saberá se o Grêmio, que neste sábado enfrenta o Goiás no Olímpico, ampliou para nove pontos a vantagem na liderança do Brasileirão. Atualmente, os gremistas estão com 49 pontos, contra 43 dos palmeirenses e dos cruzeirenses.Veja também: Luxemburgo aposta em nova formação na defesa palmeirenseDê seu palpite no Bolão Vip do Limão Para o meia Diego Souza, o Grêmio tem uma grande vantagem em relação aos demais times na briga pelo título: a ‘gordura’ acumulada o faz jogar sem pressão. "Um empate para eles fora de casa pode ser um bom resultado. Para o Palmeiras, não", explicou o jogador. "Nós, o Cruzeiro e o Botafogo entramos em campo pressionados pela diferença de seis pontos. Se aumentar para nove, então, não fica impossível, mas com certeza será mais difícil ainda. Mas vamos ver o panorama do campeonato daqui a duas, três rodadas."Por isso, o jogo de domingo contra o Cruzeiro é encarado como uma decisão para os palmeirenses. "Quem perder fica mais longe do título", admitiu Diego Souza.Já o zagueiro Maurício, que entra no time no lugar de Gladstone, avisou que a definição do Brasileirão ainda está longe. "O campeonato não acaba amanhã, mesmo se a diferença para o Grêmio aumentar", disse o jogador.Para pegar o Cruzeiro no Mineirão, o Palmeiras se preparou como se fosse uma final. Com a folga no calendário, o técnico Vanderlei Luxemburgo levou o time para passar a semana em Atibaia, no interior de São Paulo. A preocupação dele foi arrumar a defesa e remontar o ataque, que não terá os titulares Kleber e Alex Mineiro, ambos suspensos.Luxemburgo, inclusive, já deu sua opinião caso o Palmeiras seja derrotado no domingo e o Grêmio vença neste sábado. "Se a diferença aumentar para nove pontos, damos adeus ao título", explicou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.