Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE

Palmeiras admite ser difícil evitar ausência de Henrique

Equipe trabalha para evitar a suspensão automática do zagueiro diante da Portuguesa na semana que vem

DANIEL AKSTEIN BATISTA, Agência Estado

27 de junho de 2012 | 08h32

SÃO PAULO - O Palmeiras já começa a se conformar por não contar com o zagueiro Henrique no primeiro jogo da final da Copa do Brasil, no dia 5 de julho, na Arena Barueri, mas não desiste da batalha para evitar a suspensão automática e promete lutar até o fim para ter o jogador na partida contra o Coritiba.

Diretores palmeirenses se reuniram na noite de segunda-feira e o clube tem até quinta para apresentar a sua defesa do caso. O julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no entanto, ainda não tem data marcada para acontecer.

"Estamos analisando todas as provas e estudando o melhor caminho para defender o jogador", afirmou Piraci de Oliveira, diretor jurídico do clube, ao comentar sobre a situação de Henrique, um dos titulares do time do Palmeiras.

Para César Sampaio, gerente de futebol, as chances de contar com Henrique no primeiro jogo contra o Coritiba são mínimas. "Eu mesmo editei as imagens (da expulsão contra o Grêmio, semana passada, pela semifinal do torneio) e passei para o departamento jurídico. Mas acho quase impossível ele não pegar pelo menos o jogo automático de suspensão", avaliou.

Na súmula da partida contra o Grêmio, o árbitro Ricardo Marques Ribeiro relatou que foi Henrique quem começou a confusão. "Aos 38 minutos do segundo tempo, expulsei diretamente o jogador Henrique, por partir em direção ao seu adversário Edilson de forma agressiva, além de gesticular de maneira ostensiva. Imediatamente, o jogador atingido revidou com um empurrão e um soco no rosto. Ato contínuo, eu o expulsei também", escreveu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.