Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Palmeiras afirma não temer punição dada a Bruno Henrique na Itália

Clube considera que pena por passaporte falsificado inicialmente não precisará ser cumprida no futebol brasileiro

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 de abril de 2018 | 11h00

A diretoria do Palmeiras diz não estar preocupada com a punição divulgada na Itália, na última semana, para o volante Bruno Henrique. A seção disciplinária da Federação Italiana de Futebol suspendeu o jogador por um ano por ter atuado por uma temporada pelo Palermo entre 2016 e 2017 com um passaporte falsificado.

+ Roger revela dificuldade em isolar Palmeiras de pressão externa

+ Dudu critica torcida e não comemora gol como desabafo

Bruno Henrique atuou normalmente neste domingo, na vitória por 1 a 0 sobre o Inter, no Pacaembu, e não deve ter a presença no time afetada pelo caso. "Isso está com o nosso departamento jurídico. Pelo que me falaram, não tem nada com o Palmeiras. Só se for para a Fifa. Mas tem recurso, muito recurso. Não é nenhuma preocupação nesse momento", afirmou o diretor de futebol do clube, Alexandre Mattos.

A pena para Bruno Henrique é resultado de uma intensa investigação na Itália sobre um esquema de passaportes falsificados. Os principais beneficiados pelo esquema foram brasileiros, inclusive jogadores de futebol e futsal. A estimativa é de pelo menos 300 documentos tenham sido emitidos de forma irregular apenas nos últimos anos.

Segundo Mattos, não há risco de o Palmeiras ser prejudicado com a suspensão anunciada a Bruno Henrique. "Soube que houve 300 casos iguais a esse julgados lá. A maioria pegou um ano de suspensão e no primeiro recurso todo mundo ficou livre", disse o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.