Palmeiras ainda não engoliu provocação

A derrota para o Corinthians é passado para os jogadores do Palmeiras. Mas o elenco ainda não engoliu as provocações dos adversários no clássico de domingo. Especialmente o volante Magrão, que fez questão de esclarecer a troca de farpas com o corintiano Fabinho. "Ele desrespeitou o Palmeiras e tem de ser mais humilde", afirmou. "No futebol, é preciso saber perder e saber ganhar. Quando vencemos por 4 a 0, no primeiro turno, não falamos nada", lembrou. "O Corinthians já está se achando um super time. E não é." Fabinho teria dito, depois do jogo, que pretendia cantar ?parabéns a você?, numa referência ao aniversário de 90 anos de fundação do Palmeiras, comemorado no último dia 26. "Nenhum jogador do Palmeiras gostou do que ele fez e falou", disse Magrão, que foi companheiro de clube do rival, quando os dois defenderam o São Caetano. "Infelizmente, a cabeça dele mudou muito", comentou o palmeirense. Diante da comemoração do Corinthians pela vitória, Magrão disse que "alegria de pobre dura pouco", o que teria irritado os rivais. "Quando disse isso, não quis desrespeitar a torcida do Corinthians, até porque minha família também é pobre", explicou. "Estamos na briga pelo título e o Corinthians ainda está bem atrás da gente na classificação. Eles ganharam uma batalha, mas a guerra continua, temos 19 jogos pela frente. No final, vamos ver onde cada clube estará", desafiou. Fora a polêmica com Fabinho, Magrão disse que o elenco do Palmeiras já assimilou o resultado negativo. "Logo depois do clássico, comentamos que não podemos perder nosso objetivo, de nos mantermos entre os primeiros colocados. Por isso, temos de pensar apenas no jogo contra a Ponte Preta", revelou o volante. Personalidade - O goleiro Sérgio garante que não perdeu o sono nem se abalou com o erro que cometeu no gol do Corinthians, quando não conseguiu afastar a bola no lance em que o atacante Jô aproveitou para marcar. "Ficar remoendo e se martirizando não adianta nada", resumiu. "Só com trabalho podemos nos recuperar." Um dos mais experientes do elenco, Sérgio conseguiu encontrar pontos positivos no episódio. "Logo após o gol, alguns jogadores vieram me consolar. Isso mostra a segurança que o grupo tem em mim", analisou. "Vida de goleiro é assim. O Eduardo Martini, do Juventude, cometeu erros, recentemente (falhou nos dois gols na derrota por 2 a 1 para o São Paulo), e continua jogando. Temos muitas partidas para disputar." Para tentar a reabilitação, quarta-feira, contra a Ponte Preta, em Campinas, o técnico Estevam Soares será obrigado a fazer uma substituição. O zagueiro Leonardo deve entrar na vaga de Nen, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Agencia Estado,

30 Agosto 2004 | 18h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.