Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras alcança melhor aproveitamento do século como visitante

Com mais de 80% dos pontos conquistados fora de casa, campanha nos 14 primeiros jogos de 2018 supera outras marcas

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

08 Maio 2018 | 07h00
Atualizado 08 Maio 2018 | 14h41

O Palmeiras do técnico Roger Machado consolidou uma marca expressiva neste início de temporada. O ótimo aproveitamento de pontos como visitante nos primeiros jogos do ano dá ao time o melhor início de temporada fora de casa deste século, com aproveitamento de 83% dos pontos.

+ Podcast Palmeiras: equipe precisa virar em casa o que é como visitante

+ Clube termina da pagar dívida com o ex-presidente Paulo Nobre

+ Em sabatina no clube, dona da Crefisa defende novo contrato com o clube

Em 14 compromissos, o Palmeiras conquistou 11 vitórias, teve dois empates e perdeu apenas uma vez, para o Corinthians, pela fase de grupos do Campeonato Paulista. Entre os participantes da Série A, o time é quem tem sido mais eficiente fora de casa nesta temporada e é o único da Copa Libertadores a ter 100% de aproveitamento longe dos próprios domínios.

Na história recente do clube somente a largada de 2011 se aproxima em termos de rendimento. A equipe comandada por Luiz Felipe Scolari conseguiu naquele ano fechar os 14 primeiros jogos do ano com nove vitórias, quatro empates e uma derrota. O aproveitamento era de 74% dos pontos.

A campanha fora de casa do Palmeiras em 2018 tem até agora além do rendimento, momentos marcantes. A vitória sobre o Boca Juniors em La Bombonera, pela Copa Libertadores, foi o primeiro revés argentino dentro de casa pela competição por mais de dois gols de diferença para um rival de outro país.

A performance se manteve mesmo com os reservas. Na semana passada, no Peru, o time entrou em campo contra o Alianza Lima com uma formação modificada e mesmo assim, ganhou a partida por 3 a 1.

O Palmeiras construiu a campanha eficiente fora de casa nesta temporada com uma estratégia diferente em comparação a anos anteriores. O treinador buscou manter a formação titular e apostou em jogadores que estavam em baixa. O maior exemplo é Borja. O artilheiro do time na temporada tem dez gols marcados, mesma quantidade que anotou em 2017 com praticamente o dobro de atuações.

Ao tentar explicar os motivos da grande campanha como visitante, o treinador da equipe se depara com uma curiosidade. A equipe tem aproveitamento inferior como mandante nesta temporada. Nos jogos em casa o Palmeiras conquistou até agora 61% dos pontos disputados.

"Como visitante, dificilmente a torcida permitirá que a equipe adversária jogue recuada, aí vai surgir espaço para a gente. Jogando em casa, a gente tem pressionado os adversários, mas por vezes o sistema defensivo bem montado não permite que a gente consiga vencer", explicou Roger.

Por outro lado, a equipe perdeu força no Allianz Parque. O time não ganhou os últimos três jogos realizados na arena neste ano, entre eles a final do Campeonato Paulista.

Nesta quarta-feira, contra o América-MG, pela Copa do Brasil, o Palmeiras tem principal alento poder jogar novamente como visitante. O confronto de ida pelas oitavas de final da Copa do Brasil será no estádio Independência, em Belo Horizonte.

A equipe chegará no fim de semana, no clássico com o Corinthians, ao quarto jogo seguido fora de casa. O retorno ao papel de mandante será na próxima quarta, contra o Junior Barranquilla.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.