Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Palmeiras amarga nove jogos seguidos sem ganhar pelo Brasileirão

Jejum vem desde novembro e faz time nunca ter vencido na arena

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

25 de maio de 2015 | 07h00

Antes considerado favorito ao Brasileirão, o Palmeiras em 2015 conquistou até agora somente dois pontos em nove disputados e a derrota deste domingo para o Goiás, no Allianz Parque, levou a torcida a mostrar a desconfiança com o time, com vaias após o fim do jogo. O tropeço levou a equipe a chegar ao nono jogo seguido sem ganhar na competição. A última vitória foi em 2 de novembro do ano passado, contra o Bahia, em Salvador.

Desde então o Palmeiras amargou seis derrotas e três empates. Apesar do estádio lotado neste domingo, o Goiás garantiu o 1 a 0 nos contra-ataques. "Todo mundo só falava do Palmeiras, da reabilitação deles. Nós chegamos quietinhos e ganhamos", comentou Péricles, autor do gol da vitória do Goiás, marcado aos 31 minutos do segundo tempo. "Sabíamos que o nosso time sofreria pressão, pelo ambiente da arena. Por essa consciência, não nos assustamos e jogamos bem", comentou o goleiro Renan.

Inaugurado em novembro do ano passado, o Allianz Parque até agora não foi palco de vitórias do Palmeiras pelo Brasileirão. Em quatro jogos, foram duas derrotas e dois empates do time. Em 2014 por pouco o clube não foi rebaixado diante da própria torcida ao ficar no 1 a 1 com o Atlético-PR. A permanência veio graças ao Santos, que em Salvador ganhou do Vitória por 1 a 0 e rebaixou o time baiano.

"O Brasileirão tem 20 competidores. Todos se esforçam para ganhar e também vão sofrer com altos e baixos durante o campeonato, que é longo", explicou o técnico Oswaldo de Oliveira após a partida. Na próxima rodada a equipe tenta se reabilitar contra o Corinthians, em clássico que será disputado fora de casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.