Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Palmeiras anuncia acordo com Rede Globo e terá jogo transmitido no sábado

Depois de impasse nas negociações, clube fecha contrato válido até 2024 para TV aberta e pay-per-view

Redação, O Estado de S. Paulo

23 de maio de 2019 | 12h31
Atualizado 23 de maio de 2019 | 13h08

O Palmeiras confirmou nesta quinta-feira que fechou acordo com a Rede Globo para transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro tanto para TV aberta como para o pay-per-view. Após meses de impasse nas negociações, as duas partes entraram em acordo que valerá de 2019 para 2024. A partir de agora, todos os compromissos do time terão exibições na TV. A "estreia" da parceria com a emissora carioca será no sábado, contra o Botafogo, em Brasília, pelo Premiere.

"Tivemos os nossos pleitos atendidos a contento e assinamos um contrato com duração de seis anos", disse em nota oficial o presidente do Palmeiras, Mauricio Galiotte. "Quero agradecer ao torcedor palmeirense, que compreendeu a importância de todo esse processo e esteve sempre ao nosso lado durante a negociação, sendo fundamental e determinante para o sucesso dessa operação", completou. 

O primeiro passo para a negociação avançar foi a Globo ter aceitado a exigência do Palmeiras de não ter o redutor no contrato para TV aberta. O valor com 20% de desconto (R$ 9,6 milhões em vez de R$ 12 milhões) havia sido proposto para todas as equipes que decidiram fazer acordos com a Turner para TV fechada. A Globo justificou que a diferença servia para compensar o impacto aos negócios da empresa gerados pela presença dos jogos em uma empresa concorrente.

Para TV aberta a Globo dividiu os R$ 600 milhões com 30% do total pago de acordo com o desempenho do campeonato, 30% referente à quantidade de partidas e exibidas e os 40% restantes divididos igualmente. Esta última parte corresponde a R$ 12 milhões, valor pelo qual o Palmeiras brigou para não ter a incisão do redutor, como estava previsto inicialmente.

O segundo passo rumo ao acordo final foi sobre o pay-per-view. O Palmeiras discordava do fatiamento do total de R$ 650 milhões destinados para o contrato. Desse total, Flamengo e Corinthians receberiam cada um R$ 120 milhões, o equivalente a 18,5%.

A diretoria palmeirense questionava os critérios que norteavam essa divisão. Um dos parâmetros era a Globo destinar recursos de acordo com a quantidade de torcedores de um determinado time que era assinante do pacote. Na opinião do Palmeiras, um jogo do time pode atrair audiência mesmo de pessoas que sejam apoiadores de outras equieps ou estejam interessados no impacto do resultado daquela partida para a tabela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.